Em quem não devo votar em 2018 – Marcelo Crivella

Share Button

Engenheiro, cantor, escritor, pastor, bispo, ex-senador e atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella é sobrinho de Edir Macedo, o chefe da Igreja Universal do Reino de Deus.

Você pode ouvir, assistir ou ler o texto

Sua carreira política se iniciou em grande estilo. Apoiado por fiéis da IURD, Crivella recebeu mais de 3 milhões de votos e foi parar no Senado Federal, numa das três cadeiras reservadas ao seu estado, o Rio de Janeiro.

1ª tentativa de se livrar do Senado

A sua falta de compromisso com quem o elegeu se tornou conhecida quando, no ano seguinte ao tomar posse como senador, que a priori era o desejo de seu fiel eleitorado, Crivella se candidatou à prefeitura da capital fluminense.

2ª e 3ª tentativas de se livrar do Senado

Dois anos depois, em 2006, tentou mais uma vez trair seus eleitores ao tentar se tornar governador do estado, mas perdeu. Mais dois anos se passaram e novamente tenta se eleger prefeito da cidade maravilhosa. Mais uma derrota.

4ª tentativa de se livrar do Senado

Crivella não para. Depois das tentativas frustradas de se livrar do Senado, o que parecia ser um carma em sua vida, em 2010 se reelege senador da República e assim evita concorrer ao governo do Rio contra o bandido Sérgio Cabral, hoje condenado a mais de 100 anos de cadeia.

Crivella, o ministro

Em 2012 conseguiu se livrar do “carma” e foi empossado ministro da Pesca e Aquicultura no governo Dilma. Por sua passagem pelo Executivo, Crivella se tornou alvo de denúncias de uso irregular de verba pública.

Apurações do TCU descobriram que R$ 19,5 milhões do Seguro Defeso, o popular Bolsa Pesca, foram pagos a funcionários públicos, que não podem receber o benefício, e até a defuntos.

O Ministério Público também abriu investigação contra o senador, que odeia ser senador, após dezenas de denúncias serem apresentadas por irregularidade no pagamento do Seguro Defeso. Superintendentes de vários estados - todos do partido criado por Crivella, o PRB -  também foram arrolados nas investigações.

Crivella contesta as denúncias e disse que a culpa é do Ministério do Trabalho que deveria, segundo ele, verificar se os dados dos cadastrados no Bolsa Pesca estavam corretos.

Crivella, novamente senador

Em 2014 deixou o ministério e voltou para o Senado, certamente infeliz e sem vontade de cantar uma bela canção. Mas ele não deixaria barato e tentou novamente ocupar o Palácio da Guanabara, porém, sem sucesso.

Enfim, tchau Senado!

A tristeza do traidor de eleitores teve fim em 2016 quando finalmente consegue assumir a prefeitura do Rio. Foi eleito com metade dos votos que recebeu para o Senado 14 anos antes. E para aproveitar a viagem tentou nomear o filho como chefe da Casa Civil, mas o nepotismo descarado foi barrado pelo STF.

No início de seu mandato como prefeito do Rio, por azar ou incompetência (ou os dois), o sistema de saúde da cidade entrou em total colapso, fato que foi amplamente divulgado nos meios de comunicação. Faltavam médicos, leitos e até medicamentos.

São Crivella

Nos últimos dias Crivella volta a ser destaque nos noticiários brasileiros e mais uma vez por situações pouco ortodoxas. A portas fechadas, o prefeito Crivella se reúne com alguns irmãos de fé e promete atender a pedidos diversos, como instalação de quebra-molas e semáforos, tudo isso sem passar pela máquina burocrática do governo. Os pedidos seriam atendidos rapidamente, desde que os beneficiados fossem integrantes de sua igreja.

O milagre da cura

Crivella ainda ensaia para atuar no papel de Jesus Cristo ao prometer que curaria a visão de quem sofre de catarata. Mas o milagre não seria para qualquer um, muito menos para aqueles que há anos aguardam na enorme fila por uma vaga no sistema de saúde para se livrarem da doença.

Os recebedores da “bênção governamental” de São Crivella devem ser integrantes de sua igreja ou indicados por estes, mas para o milagre acontecer é preciso cumprir a uma exigência, falar com a Márcia.

Ao contrário do que se imagina, Márcia não é uma anja ou qualquer enviada divina. Trata-se de uma servidora no cargo de Coordenadora Técnica na prefeitura do Rio e que ajuda no milagre de cura rápida e sem filas, e que não se limita aos olhos.

As divinais curas são também para mulheres com problemas de varizes e homens que desejam fazer vasectomia. Mas para o milagre acontecer, lembrem-se, tem que falar com a Márcia.

Aos pastores com problemas de IPTU de suas filiais eclesiásticas, São Crivella prometeu ajuda divina para “solucionar o problema” da cobrança do tributo municipal, afinal igrejas não podem pagar o imposto por determinação legal.

Impeachment, uma possibilidade

Marcelo Crivella poderá se tornar alvo de impeachment, se depender de alguns vereadores que já iniciaram coleta de assinaturas para a abertura do procedimento legal.

Crivella é só mais um de muitos políticos que usam a política como fonte de poder e em benefício próprio. Ele é mais um que deve ter o nome gravado na lista de quem não deve receber votos nas próximas eleições, caso se candidate.

Escrito por Lúcio Big

AVISO AOS 'J'ÊNIOS DE PLANTÃO: As opiniões expressas pelos autores e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Canal do Otário.

Assinantes do site tem descontos especiais na loja! Bronze (5%), Prata (10%), Ouro (20%) e VIP (30%)! Saiba mais, clique aqui - Dispensar