Direitos Trabalhistas (Sem Palavrão)

Share Button

"A CLT é um atraso para o país, alimenta a burocracia estatal e sustenta sindicatos que recebem dinheiro fácil."
Flávio Augusto da Silva

Brasileiro é tão otário que acha que FGTS é um direito!

- O governo confisca seu dinheiro para emprestá-lo, via BNDES, a juros bem camaradas aos CUmpanheiros e, depois, o devolve a apenas 3% ao ano. Enquanto isso, a inflação no país já está em mais de 8% nos últimos 12 meses!

Brasileiro é tão otário que acha que INSS é um direito!

- INSS é apenas uma pirâmide financeira legalizada que, cedo ou tarde, quebrará. Além disto, se você pudesse aplicar este dinheiro na poupança, por conta própria, sua aposentadoria seria, pelo menos, duas vezes maior.

Brasileiro é tão otário que acha que recebe 13° salário!

- O trabalhador está apenas recebendo em 13 parcelas o que iria receber em 12. Ou alguém acha que o empresário não sabe fazer contas?!

Brasileiro é tão otário que salário mínimo serve para alguma coisa!

- Se salário mínimo servisse de parâmetro para alguma coisa, o salário médio do brasileiro, que ganhava cerca de 6 salários mínimos em 1994, deveria ser de, pelo menos, 6 salários mínimos em 2015... porém, é inferior a 3 salários mínimos!

Leitura obrigatória

TERCEIRIZAÇÃO, CLT E AFINS...
(texto grande, mas direto ao ponto)

Na Venezuela, o empregador é proibido de demitir quem...

Posted by Geração de Valor on Sexta, 17 de abril de 2015

 

Pois é... enquanto os brasileiros continuarem com a mentalidade(zinha) de que empresários são os vilões, ao invés do governo (que é o verdadeiro vilão desta história, pois apenas suga o dinheiro da população sem produzir nada), continuaremos neste país sem futuro.

Abraços,

Otário Anonymous

banner-assine

Fontes e links úteis

Fontes e links úteis

Ótimo texto escrito por Flávio Augusto da Silva https://www.facebook.com/CanalGeracaodeValor/posts/859634390782843

1994 vs 2015: 100 reais http://www.canaldootario.com.br/blog/1994-vs-2015-100-reais/

Salário médio em 1994 http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/231/pme_1994_set.pdf

Cesta Básica Nacional: Histórico do salário mínimo nominal e necessário http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

Rendimento Médio Real: R$ 2.134,60 http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/pme_201503tm_02.shtm

20 obras que o BNDES financiou em outros países http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1985

Suiça rejeita salário mínimo de R$10.000 http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/05/140518_resultado_suica_ms

Texto da CLT http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm

A vaca tossiu http://www.canaldootario.com.br/blog/vaca-tossiu/

INSS http://www.canaldootario.com.br/blog/inss/

Agradecimento especial aos Patrões

Agradecimento especial aos Patrões

Mr. Hitch
Miguel Meister
Eduardo Leal
Gabriel Pinheiro
Sandro T.
Minutos Pisíquicos
Daniel Lacerda
Lourenço Sérgio Póvoa
Alan Cruz

Obrigado, Patrões! O apoio financeiro ao Canal através do Patreon, no mês de abril de 2015, está sendo fundamental para manter o Canal vivo e fazer vídeos como este!

Doacao2

6 comentários

  1. Em essência eu diria que você tem razão na maior parte do vídeo.

    Eu, mesmo recebendo 13o e ficando feliz em recebe-lo sempre achei injusto e agora você me fez pensar que não é, já que apenas recebemos em 13x o que deveria ser pago em 12x.

    O que me preocupa é que mesmo que houvesse uma reforma trabalhista e tributária no Brasil, não consigo acreditar que isso se transformaria em benefícios para as pessoas (lai-se mortais comuns).

    Acredito que as empresas seriam as maiores beneficiadas pois iriam lucrar mais e de forma alguma iriam reduzir preços de produtos / serviços ou aumentar o valor médio dos salários pagos e outros benefícios.

    As empresas iriam apenas aumentar a margem de lucros, até porque empresa existe pra gerar lucros e não pra fazer caridade, caso em que não seriam empresas e sim entidades beneficentes.

    Então por mais lógica que seu raciocínio possua, sinceramente não consigo me convencer de que reduzir “direitos” trabalhistas impostos vá, de qualquer forma, refletir em vantagem para todos.

    Então, como você sempre diz nos seus vídeos: NÃO F*** :-P

    • Da mesma forma que empresas não são instituições de caridade, os trabalhadores tb não são.
      Se uma empresa oferecer um salário baixo ao trabalhador, basta ele recusar. Se a empresa continuar oferecendo salários ruins, só conseguirá contratar profissionais cada vez piores e não iria demorar muito para ela fechar as portas e outras empresas melhores surgirem. Simples assim.

      • Mas onde a redução de direitos trabalhistas e reforma tributária atua como desestimulador dessas condutas, no caso recusar ofertas de emprego com baixos salários ?
        Sinceramente, não consigo ver nenhuma relação entre os dois fatos.
        O que faz as pessoas aceitarem empregos com baixos salários, não é a falta de organização das “categorias” de trabalhadores nem mesmo a falta de vagas.

        O que vemos é que o fator determinante é a qualificação profissional.
        Por isso não vejo POR QUE simplesmente reduzir “direitos” trabalhista e extinguir impostos levaria necessariamente ao aumento de ofertas de trabalho com remuneração maior.

        Outra coisa que vemos é, tanto em fornecimento serviços como na produção e venda de produtos, um aumento cada vez maior na escala da automatização da produção e no aumento de modelos de negócios baseados em autoserviço.
        Não que isso, de qualquer forma isso seja “errado”, muito longe disso é até mais eficiente tanto para quem produz, vende ou presta serviços quanto para quem consome.

        A questão mais uma vez é que uma análise tão superficial (como em geral são que você apresenta nos seus vídeos) é no mínimo falaciosa, ou seja leva à uma conclusão que talvez não seja à “verdade” ou, pelo menos, não é a única conclusão possível.

        Porque pessoa sem qualificação não serão “contratadas”, num contexto de automação e especialização do trabalho se não se especializarem e não se qualificarem para suprir as vagas oferecidas.

        Assim, mesmo que as pessoas se recusem a trabalhar, isso não fará automaticamente com que as empresas aumentem O valor da remuneração apenas para preencher as vagas de trabalho.

        Não, não é tão Simples Assim.

      • Canal do Otário, você falou que “Se uma empresa oferecer um salário baixo ao trabalhador, basta ele recusar. Se a empresa continuar oferecendo salários ruins, só conseguirá contratar profissionais cada vez piores e não iria demorar muito para ela fechar as portas e outras empresas melhores surgirem. Simples assim.”, mas com o Brasil em crise e com o desemprego aumentando, o trabalhador pode recusar um emprego? E prestar um serviço ruim não significa que ela vai fechar. Aqui mesmo no seu site existem diversos exemplos de empresas que prestam péssimos serviços (como telefonia), e continuam existindo, não é? E as empresas de telecomunicações, além do péssimo serviço aos clientes, sugam os funcionários (é só procurar no Google e ver diversos casos de a**édio moral, salários baixos, horas extras, proibição de ir no banheiro, terceirização, etc.). Aliás, você acha que uma empresa que desrespeita o cliente vai respeitar o seu empregado?

  2. PS: Não veja meus comentários como um ataque e nem mesmo como demérito ao seu trabalho. Como eu disse, penso que em geral suas análise são muito superficiais, e acredite que em parte por isso acabam sendo tendenciosas.
    Mas não acredito que chegam a ser levianas. O que me incomoda é ver alguém com tamanha capacidade e criatividade se restringindo à um trabalho que, algumas vezes beira à propaganda ideológica. Porém mesmo assim não consigo ver nisso um ato deliberado de algum tipo de tentativa de doutrinação ideológica.
    Vejo muitas vezes em seus “discursos” um cidadão realmente indignado e que decidiu “fazer alguma coisa”.
    Então não leias meus comentários como um ataque e sim como um crítica construtiva de alguém que, apesar de discordar de muitos dos seus argumentos, posicionamentos e conclusões, ainda assim admira seu trabalho e assiste seus videos e que apenas ser reserva o direito de (em alguma situações específicas e pontuais) dizer NÃO F*** P**** :-P

    • Concordo contigo, Márcio Etiane. O “Canal do Otário” está sendo extremamente tendencioso neste vídeo, misturando custos trabalhistas com direitos trabalhistas, ignorando a realidade brasileira quando diz que os preços diminuiriam por causa da redução dos custos sendo que os empresários brasileiros tem um lucro imenso, e postando notícias parciais.