Você Fiscal – Fiscalize a eleição, garanta seu voto

Share Button

O Prof. Diego Aranha, da UNICAMP, está desenvolvendo um excelente projeto que poderá contribuir bastante na fiscalização das eleições deste ano!

Confira o vídeo a seguir:

Apoie o Você Fiscal

O que é o Você Fiscal?

O Você Fiscal é um projeto para desenvolver um aplicativo de celular que vai colocar na sua mão o poder de fiscalizar e dar um pouco mais de transparência às eleições.

A ideia é permitir que a totalização dos votos seja feita de forma independente, detectando se uma urna foi extraviada, trocada ou adulterada após o término da votação. Seria possível, também, verificar a existência de algum bug ou fraude no software que roda nos computadores do TSE para somar o resultado final.

É importante ressaltar que este aplicativo não impede (ou detecta) a existência de um software malicioso dentro da urna antes do termino da votação, mas cria mais um mecanismo de verificação para a etapa posterior a esta, que envolve, especialmente, a transmissão dos votos para o TSE e o somatório final dos resultados.

Para isto, seria utilizado apenas um celular e as informações presentes no Boletim de Urna (BU), que é um documento que fica disponível ao público em geral (afixado na porta da seção eleitoral) quando as eleições são encerradas, às 17h.

Vocefiscal
Fonte: Você Fiscal
4QOV8osl
Reprodução: Imagem da tela do protótipo

Com o aplicativo para celular que será desenvolvido, o eleitor tira uma foto do Boletim de Urna e o envia para o Você Fiscal (ver imagem do protótipo ao lado).

A partir dos boletins de urna enviados, os computadores do Você Fiscal calculam por amostragem um resultado independente e comparam com o oficial do TSE. Portanto, quanto mais gente participar, mais preciso será o resultado! ;-)

Apoie este projeto! Confira mais informações na página oficial de financiamento coletivo do Você Fiscal

Apoie o Você Fiscal

Detalhe: no momento em que escrevo, este projeto já está com mais de 50% de sua meta atingida. Rumo aos 100%!!! ;-)

Diego Aranha

Diego Aranha é professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenou a primeira equipe de investigadores independentes capaz de detectar e explorar vulnerabilidades no software da urna eletrônica em testes controlados organizados pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Ele é Bacharel em Ciência da Computação pela Universidade de Brasília (2005), Mestre (2007) e Doutor (2011) em Ciência da Computação pela Universidade Estadual de Campinas. Foi doutorando visitante por 1 ano na Universidade de Waterloo, Canadá, e Professor Adjunto por pouco mais de 2 anos no Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília.

Quer saber mais?!

Confira o hangout (realizado hoje, 26/07/2014) onde o Prof. Diego Aranha passa informações um pouco mais técnicas sobre este projeto, e a respeito da fragilidades das urnas eletrônicas ou das possíveis fraudes que poderiam ocorrer através delas.

Abraços,

Otário Anonymous

camisetas

45 comentários

  1. Sensacional!

    Vou divulgar.

  2. E se a urna já estiver programada para favorecer algum candidato? O boletim será impresso com o resultado já alterado…

    • Sim

    • “É importante ressaltar que este aplicativo não impede (ou detecta) a existência de um software malicioso dentro da urna antes do termino da votação, mas cria mais um mecanismo de verificação para a etapa posterior a esta, que envolve, especialmente, a transmissão dos votos para o TSE e o somatório final dos resultados.”

  3. Esse Boletim de Urna…eu nunca recebi.
    Tudo oque eu recebo eh um comprovante de votacao, o qual apenas contem meu titulo, zona, secao, etc
    Nunca vi esse BU ai

    • Boletim de Urna não é entregue ao eleitor, mas fixado pelo presidente da seção e mesários em local visível após o encerramento da votação.

    • O B.U é gerado pelas urnas após o fim da votação, às 17:00hrs, e a mesma não é entregue ao eleitor, e sim afixada na porta de cada cartório, para que os representantes dos partidos políticos, e demais pessoas possam conferir o resultado de cada uma.

  4. Eu acho que no dia da eleição devia haver uma campanha de conscientização em frente ou perto das zonas eleitorais com urnas convencionais de papel para que o eleitor escreva, anonimamente, o número da sua sessão eleitoral e do seu candidato. A chamada seria algo como: “Pesquisa de boca de urna: o TSE não permite que você confira o seu voto, mas nós conferimos se o seu voto será computado”.

    Daí seria possível identificar a fraude se o número de votos declarados ao candidato X fosse superior ao computado do boletim da urna. Além de permitir a distribuição de panfletos sobre a causa do voto impresso.

    Se a polícia tentar nos expulsar poderíamos filmar e divulgar, ficando ainda mais evidente a ditadura judiciária que enfrentamos.

  5. Post excelente! Agradeço muito a ajuda na divulgação. Preciso aprender a fazer uns posts bonitos assim :) Diagramação impecável!

  6. O problema é que eleitores do PT, no geral, não são muito bons com tecnologia. Alguns levantamentos mostram que boa parte, inclusive, são analfabetos. Como fica?

  7. Fiz a minha doação, e compartilhei, espero que esse projeto saia do papel. Prof. Diego, parabéns, você está fazendo história!

  8. É TARDE DEMAIS PARA 2014 MAS AINDA DÁ TEMPO PARA 2016!!!
    DIVULGUE!!! PELO FIM DO CAPITAL PRIVADO NA POLÍTICA!!!
    O atual sistema eleitoreiro Tupiniquim seleciona negativamente os candidatos, pois é óbvio que só recebe verba privada quem vai defender os interesses dos doadores, fazendo dos políticos servidores dos doadores e não da Nação.
    A QUEM INTERESSAR POSSA: UMA PROPOSTA DE REFORMA POLÍTICA: Existem dois problemas fundamentais no processo eleitoreiro tupiniquim: O primeiro é a urna eletrônica sem voto impresso: o correto é a urna eletrônica com voto impresso – o que foi proibido pelo congresso, quando juízes honestos tentaram introduzir esse método de verificação da eleição – ao votar eletronicamente há que se imprimir um voto para permitir a conferencia do resultado, a urna eletrônica permite um PRÉ-resultado rápido que deve corroborar com o resultado do voto impresso, diferença na contagem que não influencie no resultado podem ser ignoradas, outras obrigam a recontagem – vigilância via internet de todas as zonas eleitorais para evitar coação de eleitores também é possível. E, segundo: e mais importante, a verba privada, aqui, quase sempre, quem doa dinheiro para político espera que o político vá “retribuir” seguindo as diretrizes de quem doou. Quem tem opinião própria não vai receber verba de doação de quem quer controlar o político, selecionando NEGATIVAMENTE os candidatos. Solução: proibição de uso de dinheiro privado para as campanhas. Extinção dos atuais partidos e obrigação de plano administrativo para a criação de qualquer partido, não basta dizer o que pretende, mas tem que dizer como pretende alcançar os objetivos, tal compromisso tem que ser registrado e publicado para que todos tenham acesso livre via internet. Tempo e espaço igual – na TV, RÁDIO e ao VIVO para todos que concorram ao mesmo cargo entre outras regras que de a todos a mesma chance de expor suas idéias. E mais revolucionário ainda, um teste psicotécnico que demonstre o grau de patriotismo e caráter do candidato, podendo reprovar o indivíduo impedindo sua candidatura, com o resultado publicado para que o povo saiba em quem está votando e, além de outros pontos, a opção na urna de NENHUM DOS CANDIDATOS ACIMA que forçaria novo pleito, se for maioria absoluta, com novos candidatos até aparecer quem preste, ou pelo menos levar pra longe os que estão ai. Fim das dinastias e capitanias hereditárias com a proibição de mais de um parente até terceiro grau em cargo eleito ao mesmo tempo e obrigação de pular uma geração, nesse caso filho de peixe não é peixe. Somente funcionário público concursado, extinção dos cargos de confiança. Preliminares nos partidos com voto direto dos seus membros, fidelidade partidária … etc. são muitas idéias e muito debate para uma nova Lei política que deve ser passada em referendo ou plebiscito o que for mais eficaz

    • Utópico mas muito boa ideia.

    • O problema não e votar em alguem que preste, mas participar e fiscalizar,a tecnologia pode ajudar e muito na fiscalização, basta desenvolver sistemas sofisticados e transparentes, precisamos incentivar isto!!!

  9. Já foi provado que as urnas não garantem o voto secreto e que é possível manipular os votos.
    E o TCE decidiu não testar a urna esse ano, porque será? Com isso fica as suspeitas, será que os erros foram consertados? Será que mudaram alguma coisa a mais?

    O próprio órgão que organiza é o fiscalizador. Mostrando que transparência não é o objetivo e f***-se todo mundo, vai ser assim e acabou! Como podemos confiar nesse sistema?

    Bando de lad….FDP !!!

  10. O primeiro passo para não sermos mais enganados é que o voto seja facultativo. O segundo é que ser político não seja carreira, e uma vez eleito este não possa assumir qualquer outro cargo no governo. E sua remuneração seja baseada no salário mínimo e que para qualquer correção seja feito um plebiscito.

  11. Muito bom! Vou divulgar!

  12. Cada urna imprime o seu único boletim ao final da votação, certo? E os dados impressos no boletim são os mesmos enviados ao TSE, certo?

    Sendo assim, Diego Aranha, não entendi em que momento um fraude poderá ser percebida, pois estarão sendo computados os mesmos votos que o TSE, não? A não ser que o que a urna envia para o TSE e o que ela imprime sejam possam divergir. Mas isso não faria sentido. Pois o boletim só tem o total, e não o andamento voto a voto.

    • Pelo que é possível entender, o objetivo é detectar a presença de inconsistência entre os dados apurados de cada urna e a transmissão desses dados para o TSE assim como com a sua totalização.

      Com a totalização paralela que é proposta, se tornaria possível responder às seguintes perguntas:

      * Os dados disponibilizados em cada boletim chegaram intactos ao TSE?

      * A totalização dos votos feitas pelo TSE realmente corresponde aos de cada boletim?

  13. O diabo é que o roubo reside no encerramento da urna, onde ela determina a quantidade de votos a cada candidato, ali o candidato que pagou mais aos juizes do tribunal, terá uma quandidade de votos que o fara se eleger, pois o chip da maquina, ja vem programado para fazer o serviço. E como a Justiça não mostra o codigo fonte do programa da maquina, ninguem jamais poderá ver como é feito o roubo, A ideia do cidadão acima é boa, mas neste ponto o roubo ja aconteceu.

  14. Sou Supervisor de um colegio eleitoral e posso afirmar que isso eh uma perda de tempo… Nao que a iniciativa seja ruim, mas o que mais vemos sao pessoas questionando que quando digitam o numero do candidato, aparecem a foto de outros, ou seja, o processo do boletim ja pode ter sido modificado durante a votacao… Uma coisa que poderia ser feita era o acompanhamento de pessoas durante o processo. Quando um desses casos ocorresse, a urna fosse invalidada e tudo a partir desse momento fosse feito manualmente, como era antes. Minha opniao…

  15. Mas eles podem programar p/ sair uma nota fiscal de um jeito q eles quiserem, nos enganando mesmo assim.

    eu penso nos lugares remotos, onde quase ñ tem energia, quem dirá internet e celulares pra conferir isso… e é aí q acontece as adulterações.

    e outra, teria q tirar foto de cada sala, cada urna, tipo teríamos q nos organizar bem, cada um cuida de uma… e é difícil ter tanta gente,

  16. Ótimo projeto. Mesmo sendo mesário já apoiei lá.

  17. Para evitar a fraude no equipamento, devemos exigir o código fonte das urnas, o compilador usado, a existência de um microcontrolador “popular” (ou com esquemático conhecido) e hash. Com isso é fácil verificar se a urna esta adulterada, por amostragem. Pegando ela, sacando o microcontrolador, e testando o hash. Exigimos já! urna transparente.

  18. Receba minha contribuição. Humilde, mas ajuda. :P

  19. Só uma dúvida, constatada a fraude, o que será feito? :)

  20. mas por exemplo temos 500 eleitores e 400 votam em político A e 100 votam no político B

    se a urna for “batizada” na hora de imprimir o B.U ja sai com a totalização do voto ja batizado não temos como verificar correto?

    • Depende do tipo de tática usarem para fraudar. Se já instalaram em todas ou algumas urnas um worm, será inútil, mas se a fraude for na contabilização geral, de diversas formas vai dar merda para os parasitas.

      O ideal seria voto público, não há motivos para voto secreto, não estamos em uma das maiores democracias do mundo? Ah, não F***! kkkkkkkkkkk

      Um painel externo mostrando os votos em tempo real, inclusive com o eleitor confirmando e fiscais anotando.

      Mas os ardis dos donos das capitanias enganam muito bobos: “o voto secreto é um DIREITO do cidadão”, etc. Para que serve voto secreto, a não ser para evitar, em vão, o voto de cabresto?

      • Mesmo o voto sendo secreto existe (ainda hoje) a compra de votos (metade agora e metade depois do voto)… sim, o sigilo é um direito e sua divulgação seria ainda mais desastrosa! Algumas pessoas acreditam que transparência é sinônimo de voto aberto, código-fonte aberto, entre outras baboseiras. Como tornar o processo eleitoral ainda mais seguro? Copiando outros países que já utilizam a dupla validação com voto eletrônico + voto impresso, permitindo a recontagem.

  21. CORRETÍSSIMO Renato Pádua…. o que teremos apenas é a garantia que o que saiu no BU seja o mesmo resultado divulgado pelo TSE (diga-se tribunal mafioso). E como você bem citou, com a urna batizada o que sai ali é o que eles querem, com um sisteminha manipulado já se sabe bem o resultado final….

  22. Murilo do Rosario Pinheiro

    Boa noite!!!

    Ola amigos do canal!!!!
    Gostaria de informar que o projeto de apoio ao Você Fiscal no site http://catarse.me/pt/VoceFiscal atingiu a meta estabelecida de R$ 30000,00 ultrapassando a casa dos R$ 42000,00 ate a postagem deste comentário. Obrigado ao Otário Anonymous pela importante prestação de serviço aos brasileiros, o meu muito obrigado!!!!

  23. 1 – Uma pessoa vai receber imagens do voto meu e de mais um monte de gente quebrando o sigilo do voto.

    2 – As pessoas que recebem bolsa esmola e votam naqueles que fornecem a esmola não vão usar smartphone nem internet.

    Basta apenas essas 2 razões para que eu já perceba que não vai adiantar muito.

    • Não é a imagem do seu voto, mas sim a imagem do boletim de urna… que fica afixada na porta do colégio eleitoral no final da votação!

  24. Em meu projeto (ApuraVoto) o qual é apenas muito parecido com o VoceFiscal, fizemos consultaa jurídica ao TRE/SP para averiguar alguns pontos legais (jurídicos) e obtivemos resposta no ano passado. Faço então, o mesmo questionamento ao organizadores do VoceFiscal: Pode o TSE (TRE´s ou Partidos) considerar este projeto uma violação (transgressão) ao processo eleitoral e impedir sua realização? A organização do VoceFiscal terá departamento jurídico trabalhando para prevenir e/ou defender os participantes em caso de possível prisão em flagrante por crime eleitoral e/ou contra ordem pública?

    • De que forma alguém fotografando, depois das eleições, o boletim com a totalização de votos de cada urna, que fica fixada na parede das zonas eleitorais, é considerado crime eleitoral ou contra a ordem pública? E tão pouco alguém apurar tais relatórios. O problema é se encontrarem algo errado na apuração… Aí sim podem encontrar crime eleitoral e questionar que a manipulação é por parte do aplicativo e não do TSE.

  25. Já que é você fiscal deveria filmar é o teste inicial da urna. Pois depois dela que ela é fraudada. É colocado um programa que adultera os votos. Depois da votação filmar o boletim não certifica se a eleição foi ou não adulterada. Confira o estudo da Princeton University https://www.youtube.com/watch?v=VnH_ElxR6jY

  26. Realmente, diante de tantas denuncias o melhor seria a RECONTAGEM manual dos votos !!!

  27. Agora que já leram a matéria do Vc Fiscal…. leiam essa outra…. e reflitam se o projeto não precisa de apoio: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/09/151366

  28. Fiquei com uma dúvida: o resultado divulgado pelo TSE é apenas o resultado geral, ou é divulgado por seção eleitoral? Se for a segunda opção, com 1 BU com informações divergentes já seria possível comprovar uma falha ou fraude!
    De qualquer forma, vamos divulgar ao máximo!

  29. Estou cansado de toda essa corrupção e tudo o que esse bando de politicos fazem com o no Brasil!
    Chega do Povo se otario!

  30. Os Nossos Politicos são Corruptos demais!