Suíte de casal, deputado solteiro e conta paga pelo contribuinte

Share Button

Deputado licenciado e atual Chefe da Casa Civil da Prefeitura de Manaus, Arthur Virgílio Bisneto não se faz de rogado quando o assunto é se hospedar com glamour às custas do dinheiro do contribuinte. No início de 2017, entre os dias 31 de janeiro e 2 de fevereiro, o então deputado federal pelo PSDB do Amazonas se hospedou num 5 estrelas da capital paulista, conta que foi paga com dinheiro da maldita verba indenizatória.

Além do deputado, seu secretário parlamentar, o judoca Dejanir Cardoso, também teve a conta do hotel paga pelo contribuinte, valor que ultrapassou R$ 5 mil.

Para o secretário uma “suíte de luxo” de 60m² com Cama de casal king size com enxoval em algodão egípcio 400 fios,  edredom, travesseiros de plumas de ganso, quarto com 2 banheiros privativos, sala de estar com mesa de jantar, quarto com mesa de trabalho, rádio relógio com dock station, 2 televisões LED 48 de alta definição, minibar, cofre eletrônico com dimensões para notebook, mármore espanhol com banheira de imersão, espelho de maquiagem, secador de cabelo, balança digital e guarda-chuva.

Para o deputado, uma humilde suíte “Executivo de Casal”. Mas, peraê! Por que suíte para casal? Segundo regras da Câmara, despesas com hospedagens pagas com a maldita verba indenizatória não podem ser feitas por pessoas que não façam parte do gabinete do parlamentar.

Veja as notas: nota 1   /   nota 2   /   nota 3

Como jamais saberemos se pagamos ou não a conta de hospedagem a alguém que não poderia se beneficiar da benevolente verba indenizatória, sigamos em frente pois em maio desse ano, o deputado se hospedou novamente no pomposo L’Hotel Porto Bay São Paulo, considerado um dos dez mais sofisticados hotéis da capital paulista.

Foram cinco dias, incluindo um final de semana, em que o deputado nos fez gastar módicos R$ 6.903,00, o equivalente a 23 diárias no hotel Nobile, localizado a 300m do 5 estrelas escolhido pelo deputado.

Nos 8 meses em que exerceu mandato na Câmara em 2017, Arthur Virgílio bisneto compareceu a apenas 30, das 70 Sessões Deliberativas Ordinárias, sessões das quais o deputado é obrigado a comparecer. Ele justificou apenas metade das faltas e o feito o colocou em 1º lugar dentre os mais faltosos deputados federais do estado do Amazonas.

Em setembro, Arthur Virgílio, o bisneto, assumiu a chefia da Casa Civil da Prefeitura Municipal, o mais importante posto depois do que é ocupado pelo seu pai, o de prefeito. Mas, peraê (parte II): Nepotismo no serviço público é proibido!

Mas, e daí, né? Ele é Arthur Virgílio Bisneto, que como o sobrenome diz, é neto de Arthur Virgílio Filho, senador cassado em 1969. É ainda filho de Arthur Virgílio Neto, "filho do Filho", atual prefeito de Manaus. Ou seja, Arthur Bisneto pertence a uma linhagem de políticos que há décadas se sucedem na política amazonense.

Desde que assumiu o mandato na Câmara, em fevereiro de 2015, até o dia 12 de setembro de 2017, quando se licenciou, Arthur Virgílio Bisneto torrou mais de R$ 1,1 milhão da maldita verba indenizatória.

Usar dinheiro público para se hospedar em hotéis quando em exercício de sua atividade parlamentar é legal, mas pagar diárias de mais de R$ 1,8 mil é, sem dúvida, imoral.

Além de fiscalizar os gastos públicos, a OPS também exige explicações do parlamentar por seus gastos "fora da linha" que são encontrados. Você está convidado a participar deste trabalho. Envie uma mensagem ao deputado e pergunte em que parte do Artigo 37 da Constituição Federal ele não entendeu. Abaixo um texto que você pode utilizar - mas não se esqueça de colocar o seu nome no lugar de "fulano de tal".


Caro, Sr. Arthur Virgílio Bisneto.

Após fiscalização em alguns de seus gastos bancados com a verba indenizatória da Câmara dos Deputados, verificou-se que o senhor escolheu se hospedar num dos mais caros e luxuosos hotéis de São Paulo, o L'Hotel Porto Bay São Paulo. Numa das vezes, o valor diário pago por nós contribuintes ultrapassou R$ 1,8 mil, o que, para a maioria do povo brasileiro, inclusive amazonense, representa quase dois meses de salário.

Encontramos também hospedagens em outros luxuosos hotéis , como o Windsor Marapendi, Windsor Barra, Grand Odara e o Ranaissance.

O senhor não acha que usar dinheiro público para ostentar tamanho luxo não vai contra o que determina o Artigo 37 da Constituição Federal? O senhor acha que seus eleitores concordam em pagar esta conta tão alta?

Espero receber uma resposta do senhor.

Atenciosamente,

Fulano de tal - colaborador da OPS


Os canais de contato com o deputado são:

  • facebook.com/arthurvirgiliobisneto (Facebook)
  • @Arthurbisneto (Twitter)
  • arthurbisneto.imprensa@gmail.com (e-mail)

Veja mais vídeos da série "Legal, mas imoral"

Escrito por Lúcio Big

AVISO AOS 'J'ÊNIOS DE PLANTÃO: As opiniões expressas pelos autores e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Canal do Otário.

 

Assinantes do site tem descontos especiais na loja! Bronze (5%), Prata (10%), Ouro (20%) e VIP (30%)! Saiba mais, clique aqui - Dispensar