Privatizem as Universidades

Share Button

Você sabe o que quer dizer quando algo é público?

pú·bli·co
(latim publicus, -a, -um)
adjetivo

  1. Relativo ou pertencente ao povo, à população. = GERAL ≠ PRIVADO
  2. Que serve para uso de todos. = .COLETIVO, COMUM ≠ PARTICULAR, PESSOAL
  3. Relativo à governação ou administração de um país. ≠ PARTICULAR, PRIVADO
  4. Que é do conhecimento de todos. = MANIFESTO, NOTÓRIO, PATENTE ≠ SECRETO

Se “pertence ao povo” e nós somos parte do povo, pertence a nós, certo?
- Claro que não!

Público quer dizer: que TODOS pagam, mas só alguns usufruem.

Universidades Públicas

Semana passada escrevi sobre a lei Rouanet, agora proponho outro exemplo na mesma linha, sobre as universidades “públicas e gratuitas”.

Para reduzir o tamanho das informações e focar na questão geral, vamos nos restringir as universidades paulistas e o quanto os paulistas pagam por elas.

São 4 universidades paulistas, cada uma com seu orçamento, vejam a distribuição a seguir:

USP R$ 5.017 Bilhões
UNESP R$ 2.734 Bilhões
UNICAMP R$ 2.557 Bilhões
FATEC R$ 1.820 Bilhões
Total R$12.128 Bilhões

Isso mesmo, os paulistas pagam mais de 12 bilhões de reais por ano para manter as universidades “públicas e gratuitas”.

Se fizermos as contas, dá mais ou menos R$275,00 de contribuição por ano/por cidadão paulista (com os seus cerca de 44 milhões de habitantes). Ou seja, cada cidadão, incluindo idosos, crianças, pobres e ricos pagam cerca de R$0,75/dia para manter as universidades “públicas e gratuitas” paulistas.

Se levarmos em conta apenas os trabalhadores do estado de São Paulo, excluindo-se os que não trabalham, iremos facilmente “descobrir” que cada um pagou, forçosamente, muito mais de R$1200 reais por ano só para universidades paulistas em impostos.

Agora, pergunto a você, caro pagador de impostos, você pode ir lá na USP e sentar seu traseiro (quando não estão de greve, claro) em uma cadeira e se formar? Claro que não!

Simplesmente porque só uns poucos privilegiados é que podem usufruir desse bem “público”, mas como você já percebeu, querendo ou não, você também paga.

Será mesmo que a definição de público cabe aqui?

As perguntas que faço são as seguintes:

  • Por que todos pagam e só alguns poucos usufruem?
  • Por que pobres tem de financiar a educação dos ricos que estudam nas universidades “públicas”?
  • Qual o retorno para a sociedade que tais instituições proporcionam, dado o alto custo que elas geram para a gente?

Mais números

A USP possui cerca de 93.000 alunos. Se fizermos uma conta rápida, vamos chegar a conclusão de que cada aluno da USP custa algo em torno de R$4.500,00 por mês, isso na média, claro! Incluindo aquele curso caro de medicina e o curso barato de filosofia:

  • R$5 Bi (orçamento) / 92K(alunos) = R$ 54.347 por aluno ao ano, ou 4.528 por mês.

Na FATEC o total de alunos é de cerca de 70.000. O que vai dar um custo de cerca de R$2.600,00 por aluno, por mês.

Mas ai alguém vai dizer que as universidades particulares não geram pesquisa cientifica e que pesquisa é importante e tal, mas quanto de pesquisa efetiva temos nas universidades públicas do estado de São Paulo? E mais, quanto dessa pesquisa retorna para a sociedade para justificar tamanho investimento?

Leiam a matéria da Folha, com o professor de Física da Unicamp, Rogério Cezar de Cerqueira Leite, nela podemos perceber que gastamos muito, gastamos mal e produzimos lixo no final do processo.

Privatizar o ensino universitário e priorizar o ensino fundamental é o que deveria ser feito no Brasil, tal como a Coreia do Sul fez nos anos 90. Não faz sentido mantermos essa estrutura hiper custosa para a sociedade e termos apenas resultados medíocres. Aliás, vale a pena conferir a parábola escrita por Ricardo Amorim, sobre João e Kim.

Conclusão

Se um cidadão quer estudar e sua família não tem condições de pagar, o estado deveria entrar com bolsas de estudo para os melhores alunos que não tenham recursos e facilitar o financiamento estudantil para os demais.

Além do aspecto financeiro, teríamos um ótimo efeito colateral. As pessoas, em geral, são negligentes com o dinheiro alheio, mas são muito cuidadosas com o próprio. Portanto, na prática, aqueles “estudantes” que passam uma década sugando os (nossos) recursos do estado, encostados (sem produzir conteúdo relevante) nas universidades “públicas”, sumiriam do mapa, abrindo espaço para aqueles que estão realmente dispostos a estudar, elevando assim o nível da própria instituição.

É isso ai.

Escrito por Zé Mané

banner-assine

Sobre Zé Mané

Olá, sou um cara normal, que tem um emprego normal, uma família normal, acorda cedo para ralar todo dia, paga um montão de contas e impostos e está, assim como muitos, pra lá de insatisfeito com os rumos do nosso (des)governo. Espero aqui poder compartilhar com vocês minhas idéias e pensamentos sobre economia, politica e interesses gerais desse país que ainda não é uma nação

200 comentários

  1. Sua premissa mais importante está errada.

    Quando vc educa um único cidadão que seja, todos os outros usufruem.

    Exemplo: se vc forma alguém em… digamos… engenharia eletrônica, vc tem mais um profissional capacitado no país. Havendo suficientes profissionais capacitados nessa área, é possível criar produtos e serviços aqui dentro sem ter de recorrer a agentes externos, cuja a importação é mais cara, paga mais impostos, etc.

    Com isso, todo mundo ganha porque esse recurso ficou mais barato no Brasil.

    Quando um médico se forma, todos os seus futuros pacientes usufruem da disponibilidade de mais um médico.

    Quando vc dá qualquer tipo de educação para um cidadão, qualquer mesmo, é possível que vc tenha menos um fanático religioso ou político nas ruas, prejudicando todo mundo.

    E, mais importante ainda, ao educar uma criança vc tem um soldadinho do narcotráfico a menos.

    Não investir em educação, mesmo na alheia, é BURRICE.

    Vc é um cara inteligente, gosto muito do seu trabalho, então peço que pare de divulgar essa sua sandice.

    • Sua premissa está errada também, porque tudo que citou pode ser feito por alguém que estudou em universidade particular, e outra oque vc entendeu por ” Privatizar o ensino universitário e priorizar o ensino fundamental é o que deveria ser feito no Brasil, tal como a Coreia do Sul fez nos anos 90″. Amigo você está defecando pela boca

      • Mas quem estudou em escola privada é filhinho de papai, está numa posição economicamente estável, diferente de 70% da população que ganha no máximo 2 Salários minimos, isso só faz com que o pobre fique cada vez mais pobre, e o rico cada vez mais rico

    • Concordo. Quem escreveu o texto provavelmente estudou pouco, tem pouco conhecimento de mercado ou optou por se abster. O Brasil de hoje é um país sem tecnologia, e o custo de importação de tecnologia é muito alto, assim como o de desenvolvimento. A quantidade de profissionais realmente capacitados no mercado – principalmente na áreas exatas e biológicas – é pequena em comparação com a demanda. Em suma, o Brasil não anda mais rápido porque não pode andar mais rápido, não tem gente pra isso. E retirar qualquer tipo de incentivo à formação destes profissionais seria um golpe ainda mais sério à educação brasileira.

      O que me intriga é que atualmente há um meme (http://pt.wikipedia.org/wiki/Meme), uma ideia viral, de que “pode-ser economizar” com ação A ou B sem estudar as consequências dessa economia. A ideia está a tornar-se tão impregnada na cultura brasileira que leva pessoas a escreverem longos artigos como esse que passa a ideia de que “o investimento no ensino superior só ajuda quem entra na faculdade”. Gostaria de saber o que o autor faria com os bilhões economizados pela sua ideia, investiria em outra área mais carentes que a educação? ou exoneraria os pesados impostos? E as consequências destes? Elevaria-se o consumo e, indiretamente, reduziria-se a produção por falta de profissionais. A inflação começaria a subir. Se o imposto é pouco não há necessidade de se realizar montagem aqui, migra-se as indústria pra China onde a hora é mais barata e paga-se o imposto.

      É fácil apresentar falhas no modelo atual da politica educacional brasileira, pois há muitas. Difícil é apresentar soluções plausíveis.

    • Vamos aos dados apresentando, segundo a logica do Canal do Otario R$12.128 Bilhões sao desperdicados ao ano, canal do otario nao seja ingenuo é melhor que esse dinheiro va para essa area do que ser disperdicado em algum banco no exterior de algum partido politico ou um politico qualquer, se os R$12.128 Bilhões virassem algo nao seria beneficio para a populacao, do jeito que ta ta bom ,poderia ficar bem pior.

  2. AS ÚNICAS UNIVERSIDADES DE QUALIDADE QUE TEMOS SÃO AS PÚBLICAS, SE TIRARMOS ELAS ISSO ACABARÁ COM O PAÍS;

    • Discordo totalmente do seu argumento… isso prova que você não pesquisou o rank das universidades. Por exemplo, IBMEC e PUC são faculdades em níveis superiores até mesmo que as federais. As particulares, em geral, tem estruturas melhores e não vivem entrando de greve atrasando o estudo dos alunos. Pagam melhor aos professores, em sua maioria. Antes de dizer que todas as públicas são melhores que as particulares, recomendo pesquisar primeiro. Além do mais o que faz uma universidade boa não é unica e exclusivamente seu corpo docente, ou sua estrutura, está incluso, também, nesse cálculo o aprendizado do aluno que se dá pelo seu nível de interesse, tempo para dedicar ao estudo, etc.

      • Velho estudei em universidade publica e em universidade paricular. estudei na Unesp e na fatec e na unip… Na unesp e so tinha aula com doutores e pós doutores, todos os departamentos mantinham iniciação cientifica para todos que quisessem participar, haviam dezenas de extensões da universidade atuando em escolas aplicando o que era debatido e pesquisado. Na fatec para o cara dar aula ele precisa ter 10 anos de experiencia na área, a fatec ganhou muitas premiações de inovação tecnológica entre elas um cluster para agilizar o processamento de exames de mamografia usando processadores de 40 playstation 2. Na unip a maior parte dos professores eram medíocres, alguns se quer possuíam uma especialização, havia apenas um doutor no curso responsável por assinar a papelada de todo mundo nos diversos campus. essa postagem foi terrivelmente infeliz. Não é possível comprar as universidades publicas com as particulares infelizmente. A universidade precisa de doutores e pós doutores que deem conta de formar alunos interessados em aprender e isso é uma via de mão dupla, alunos interessados não fazem a universidade e so a universidade não faz alunos. O discurso é um discurso simplista de quem jamais estudou em uma universidade publica. Compare a quantidade de artigos relevantes e vera que não tem comparação as publicas sao incrivelmente superiores

      • Nem todas as Particulares pagam melhor que as Federais…Na verdade arrisco dizer as Federais pagam melhor que as particulares, guardadas as devidas proporções de tamanho das instituições, claro.

      • Discordo de você … as pesquisas inovadoras na área de tecnologia brasileira são todas feitas por universidades públicas tradicionais. Universidades particulares no Brasil são muito distintas das estrangeiras que sim funcionam.

  3. Essas universidades não tem a intenção de ensinar e sim de doutrinar e criar ativistas imbecis, bilhões são gastos para ser um dos piores ensinos do mundo.

    • Então é esse o seu problema? Porque um ou outro professor pode defender uma corrente política ou ideológica com a qual você não se identifica vc quer deixar alunos pobres sem opção de estudo? Sem capacitação minimamente suficiente para um trabalho decente?

      Lembre-se disso na próxima vez em que o cano da arma de um assaltante estiver apontado pra você. Argumente valores liberais para ele.

  4. O questionamento é justo, mas o texto vazio. Faz-se a pergunta “no que elas contribuem pra sociedade?” e a pergunta não é respondida, sendo que a resposta pra ela é importantíssima pra conclusão do questionamento. Nesse sentido, o texto é inclusive semelhante aos textos produzidos pelos grevistas da USP.

  5. Privatiza seu cu pra ver se da mais valor.

  6. Vamo privatiza tudo! raio privatizador

  7. Olá pseudônimo Zé Mané.
    Acompanho seu site por ter algumas informações relevantes e pela forma didática de como é feito os videos, por isso meus parabéns.
    Porem, sinto-me na obrigação de deixar uma crítica ao texto das universidades públicas que escreveu.
    Well, nasci em uma família pobre, sou caipira, estudei a vida toda em escolas públicas e fui criado por uma mãe e dois irmãos mais velhos e por incrível que pareça meu pai não pagava pensão e deve ter sido um dos únicos a não irem presos no Brasil por causa disso. Ao me formar no colegial eu nunca tinha visto nada sobre diversos assuntos essenciais como química orgânica, física de espelhos e ondas, biologia celular, etc.
    Porem, como gênio que sou (sou membro da Mensa, já ouviu falar, né?) passei na UNESP, me formei sem nenhuma reprova e fui custeado pelo governo com moradia e bolsas de apoio alimentação e cientifico, o que poem o seu primeiro paragrafo de conclusão no lixo, pois eu não era exceção nem exemplo… existiam vários nas mesmas condições e vivendo nesses alojamentos.
    E se tem os “sangue sugas” que ficam quase uma década na universidade… ele tem direito a isso devido a aprovação no concurso público do vestibular. O ENEM é uma tentativa de melhorar esse sistema de “catraca invisível” que você está criticando e que muitos universitários também o fazem.
    Se você quiser por qualquer um que “quer” entrar numa usp… faça o mesmo teste que eu costumo fazer: Pergunte quanto é meio mais um terço. Faça uma porcentagem de quantos vão dizer 2/5 e quantos 5/6. Existem mais dessas perguntas com temas de geografia, história, português, veja no youtube. ;D
    E não, não é isso a… Eu trouxe informação, agora reflita sobre isso.

    See ya.

  8. Parabéns pelo artigo, Otário! Há muito tempo queria ver um artigo como esse seu, muuuito bom!!

  9. Canal DO Otario, nao existe igualdade e nunca vai existir, no nosso país essa é a forma mais desigual de tratar os menos favorecidos, entao nao enche p****

  10. John Davison Rockefeller

    Socialistas mortadelas que parasitam nestas universidades lhe chamarão de fascista, entreguista, opressor, elitista, nazista… porque não concordamos em bancar com o suor do nosso trabalho através de sobretaxa tributária forçada as benesses dos outros.

    E tem mais, sou a favor de aumento de impostos só para pobres, porque rico não usa serviços públicos, porque deve pagar por aquilo que não usa?

  11. A ideia inicial é valida, vamos dar a conta pra outra pessoa pagar… mas dai vem o problema. O publico tem uma característica que não foi citada no texto: Se é publico não precisa gerar lucros (em termos financeiros) o que é privado sim. Se as faculdades são assim tão caras porque alguém (ou alguma empresa) se interessaria em comprar??? Estranho né, faz a gente pensar!!! :/

  12. O ensino no nosso país já é privatizado tbm. E da resultado?
    Não mesmo D:
    As faculdades particulares praticamente não sabem formar nenhum cidadão de verdade. Você aprende muito mais em uma pública. E pra pagar uma faculdade do nível de uma pública você teria que ter um salário em uma faixa de uns 4000 R$. rs
    Ou seja, em nosso país esse pensamento não se aplica tão bem, pois a ideia de pagar este absurdo mesmo com o FIES se torna absurda para quem não tem boa condição financeira.
    Ah sim, estudo em uma escola particular de qualidade, uma das melhores da minha cidade. Já assisti algumas aulas das faculdades públicas tbm. A diferença de nível é gritante. D:
    Do mesmo jeito que a privatização da saúde não funciona meu amigo.
    Mesmo com plano de saúde as vezes você passa mais tempo em uma fila de um hospital partícula do que em uma UPA.

    Sem falar que a mentalidade que maioria das faculdades do setor privado passam é: Estou aqui apenas para receber um diploma e ir trabalhar.

  13. EDUCAÇÃO NÃO É MERCADORIA

    Para além de uma questão meritocracia.

    a universidade publica é sim um espaço da burguesia atualmente.

    mas agir com a politica de privatização é se envergar ainda mais nos planos neoliberais e conciliatórios a ações de grandes empresas e tornar a educação(um direito de todos) uma mercadoria. Que num curto processo se torna privilegio novamente de poucos e que exclui a classe e os filhos da classe trabalhadora desse espaço.

    sou contra a privatização em qualquer circunstancia, pois o beneficiário desse tipo de ação é sempre o credor.

    que não incomum serão grandes corporações a serviço do lucro que irão novamente precarizar o sistema educacional.

    Pois no processo capitalista, a tendência da concorrência das empresas é formar monopólio e agir sempre em detrimento do lucro.

    • Vc está usando a internet graças a vontade de ganhar dinheiro de um estudante de uma universidade opressora americana….

  14. No Brasil tudo funciona ao contrário….a maioria das pessoas não sabem nem escrever e a maior parte dos recursos da educação vão para as universidades. Federalização do ensino fundamental e privatização das universidades públicas, esse é o caminho.

  15. Isso, privatiza o ensino… Porque não fazemos assim, cortamos 90% de salário de político? Afinal engenheiros, médicos, técnicos é oq o pais mais precisa e não de políticos ;)

  16. Ao menos as universidades são meritocráticas. Não f*** !

  17. Sr. Zé mané
    Gostaria de deixar uma pequena critica, acompanho seu trabalho e leio muito do que o Sr. escreve, mas a respeito das universidades públicas, há controversas que deveriam ser revistas pois sua reportagem pois influência diretamente a opinião de outras pessoas, acredito que o deveria mudar em relação as universidades públicas é a forma como os vestibulandos ingressam nessas instituições, pois é ultrapassado e o vestibular não explora todas as habilidades desses alunos mas esse é outro assunto e a forma da gestão a USP,UNIFESP e UNICAMPI são exceção a regra pois possuem autonomia de fazer a própria gestão dos seus recursos (vindo de impostos), mas ampliar essa opção as universidades federais de fazer a própria gestão de seus recursos com auditorias do governo é um bom começo.
    O que o Sr. disse a respeito das pesquisas cientificas , elas existem sim e temos um monte delas, só que a passos de tartaruga ..o que essas universidades fazem é de extrema importância para o país, mas falta investimento do próprio governo estadual e federal, muitas pesquisas de mestres e doutorandos da área da saúde tem sua ideia inicial por uma iniciativa privada, escrevo isso com conhecimento de causa, mas o que falta é recurso e material de trabalho, perdemos todos os anos muitos pesquisadores para universidades fora do país, porquê fazer pesquisa no Brasil não da retorno, a FAPESP atrasa ou corta bolsas de estudo de doutores, se o senhor procurar na internet o instituto do Butantã em SP, não recebeu verba do governo do estado durante meses- como fazer pesquisa cientifica assim?
    O Sr. também disse que a população não pode entrar nessas universidades, certo?
    Mas e os programas que elas promovem em beneficio da sociedade?
    O programa de tratamento odontológico na USP é gratuito e aberto ao público,o atendimento que a Santa casa faz há anos também é aberto ao público- acredito que a gestão não é boa na Sta Casa mas ainda é um recuso publico onde há médicos residentes que são estudantes de medicina da USP.
    Na sua Conclusão “Se um cidadão quer estudar e sua família não tem condições de pagar, o estado deveria entrar com bolsas de estudo para os melhores alunos que não tenham recursos e facilitar o financiamento estudantil para os demais.”
    O Sr. deveria estudar um pouco mais, ou instruir seus estagiários a procurarem diversas fontes confiáveis pois o governo federal tem programas como o PROUNI, que olha só paga a universidade para o aluno aquele que conseguiu tirar nota no ENEM para os melhores alunos, para estudar em uma universidade particular, o financiamento estudantil também existe, para estudar fora do país graduação sanduíche o governo federal também tem programa para isso se chama Ciências sem fronteiras.
    Não sei se quem faz essas pesquisas pro senhor é o Seu coxinha, mas há falhas na sua reportagem, acredito que o Sr. deveria reconsiderar a sua reportagem e reescreve-la ou debater mais quais são as opções, mas privatizar o ensino?Oi?
    Atensiosamente,
    Cidadão civilizado

  18. Privatiza minha rola

  19. O ensino tem que ser público, a escola privada.

  20. O que algumas pessoas não entendem é que a privatização do ensino não implicaria na exclusão de pessoas pobres das universidades de ponta, pelo contrário, pois estas pessoas (se tiverem méritos) continuariam cursando as universidades (privatizadas) de forma gratuita, através de bolsas de estudo.

    Aliás, como ocorre nas principais universidades do mundo: Harvard, MIT, Cambridge, Princeton, Yale, etc.

    E por falar nisso, neste sábado, devo publicar o primeiro podcast do Canal do Otário com um professor brasileiro, que está atualmente na Suíça, e que estudou nas principais universidades do mundo de forma gratuita (e, mais do que isso, ele recebeu “salário” para fazer a graduação, doutorado e pós doutorado)

    • Otário gosto muito do seu canal no YouTube , mas a respeito desse tema tenho que falar que não funcionaria. tudo no Brasil é transformado pro lado negativo, já temos uma amostra da quantidade de Universidades particulares e quase nenhuma tem um ensino satisfatório. Imagina toda a educação superior brasileira ao nível atual das particulares , seria um desastre. Em outros países isso funciona pelo fato das universidades já terem sido criadas de forma particular e com objetivo de produzir conhecimento o lucro não era importante , mas com sorte Universidades com Harvard e MIT possuem lucros exorbitantes. No Brasil o empresário ou grupo de investidores não iriam assumir as universidades brasileiras com o objetivo de produzir conhecimento e sim dinheiro, assim não seria adotado o modelo americano.

    • Então, Otário, vc está supondo que uma universidade privatizada vai oferecer um número tal de bolsas de estudo que absorva todos os estudantes com mérito (eles existem, porque a taxa de aprovação em universidades públicas ainda é muito acima de zero e se esses formandos não se tornaram profissionais no mínimo suficientes, o país já teria implodido) que hoje frequentam universidades públicas?

      Acho que você errou nessas contas. Havard e Cambridge ficam na Inglaterra, MIT, Yale e Princeton nos EUA. O que esses dois países tem em comum? Um PIB muito maior que o brasileiro. Com mais dinheiro circulando pela economia o mercado pode pensar em investimentos de longo prazo (educação é um investimento consciente, até mesmo para os liberais) espontaneamente.

      Em países mais pobres, a iniciativa privada se concentra em obter o maior lucro possível no menor tempo possível.

      Eu sei das atuais proporções de bolsistas em várias das nossas melhores universidades privadas. A maioria delas não está baseada em “méritos”, mas em convênios.

      É importante sair das nuvens, parar de sonhar com EUA, UK e Suíça e resolver o grave problema educacional que temos aqui e agora. Existem dezenas de maneiras de aplicar mal o dinheiro público, educação não é uma delas. É um investimento de longo prazo, mas essencial.

      Mas o mais vergonhoso de tudo é ser obrigado a ler esse papo de “se não tem retorno direto e imediato para mim, não pago”. As pessoas, e em particular o povo brasileiro, precisam entender que o ser humano é um animal social que precisa dos outros para viver e prosperar. Ou aprendemos a cuidar uns dos outros, ou morreremos sozinhos.

  21. é em partes pode ser bom, mas será que por algum motivo motivo, nesse país que transborda honestidade, né existiria um cartel de universidades? Mas eu acho que vamos morrer todos e o Brasil não vai mudar nada

  22. é, voltemos à idade média onde apenas a elite podia ter o direito ao estudo, a solução é estatizar as faculdades privadas, não o oposto, a propria palavra diz tudo: privada, só falta puxar a descarga; o estudo não deve ser tratado como mercadoria, mas sim como oportunidade de crescimento dentro do mercado de trabalho.

    beneficio seria nenhum, iria de contramão às investidas do governo para tornar acessivel o ensino superior, seja como medidas à medio e longo prazo, como construção de novas universidades e campus, como medidas de curto prazo como Fies e Prouni; faculdade privada só quer lucro e mais nada, transformar faculdade em “varejões de ensino” não é solução para ninguém, só aumenta mais ainda a desigualdade social; já que o pobvre não tem dinheiro para pagar a faculdade, assim o filho do pobre nunca seria engeinheiro, médico, arquiteto, etc.

    bem coisa de fascista, só a elite ter direito ao estudo.

    e pior, sem a concorrencia com as universidades publicas, imagine a mensalidade que poderão cobrar? ou será que quem recebe no máximo 2 Salários minimos(realidade de 70% dos trabalhadores) tem condições de pagar universidades de R$ 1.000,00 ou bem mais.

    • Como você é burro cara, que loucura.

    • Claro… O melhor é focar nas universidades, facilitar o acesso de qualquer maneira e deixar que o ensino básico se f*** e continue ruim como é atualmente. Afinal de contas, que importa se o cara ta na faculdade e não sabe nem interpretar um simples texto? F***-se. Ele ta na faculdade. O negocio é quanto mais gente na faculdade melhor. Investir esse dinheiro no ensino público de qualidade? Pra que? Vamos investir em universidades públicas onde o cara que estudou a vida toda numa escola fudida, vai concorrer vaga contra o cara que estudou nas melhores escolas da cidade. Ai o rico entra na faculdade pública, (Faculdade essa que é paga pelo fudido inclusive) estudo de graça e o cara se der sorte, arruma uma bolsa de 50% do prouni numa faculdade particular. Ou seja, ele paga a faculdade dele e a do rico ainda. Realmente. Vamos investir mais em universidades públicas.. Faz todo sentido…

    • de que serve um analfabeto com diploma universitário?

      • Cara, medicina não é 2.500. Em faculdades particulares é acima de 6 mil reais. So gente rica faz, até porque para ter o FIES e a faculdade liberar demora uns 2 meses, pois tal quantia é muito elevada. Em faculdades publicas, cada estudante é mais caro que esse da particular de 6 mil, a coisa piora, muita concorrência e é evidente que quem entra é quem possui muito dinheiro: estudou em colégio privado de elite, os pais são ricos, médicos, empresários…dependesse de mim privatizava tudo mesmo. O investimento das Univ Publicas deveria ir integralmente para o Ensino Fundamental e Médio. Nos EUA uma escola publica comum poe qualquer escola de elite privada no chinelo. Em Harvard um aluno de escola publica americana tem as mesmas chances de um cara de escola privada americana ou aquelas rígidas escolas da Suíça que formam diplomatas, atendem a monarquia europeia e filhos de politicos. Nosso problema é o governo!!!

    • Então. Conheço muita gente de classe média que hoje não poderia ser médico pq a família n teria condição de pagar 2500 de mensalidade num curso de medicina. Eu não sou de ver mto post ruim no canal do otário, mas esse aqui foi demais.

      • Então, amigo, eu não sei se você percebeu, mas ele mencionou ali que a faculdade poderia ser privada e haver formas de facilitação e financiamento para pessoas menos favorecidas e não de “TODOS”.
        “Se um cidadão quer estudar e sua família não tem condições de pagar, o estado deveria entrar com bolsas de estudo para os melhores alunos que não tenham recursos e facilitar o financiamento estudantil para os demais.

        Além do aspecto financeiro, teríamos um ótimo efeito colateral. As pessoas, em geral, são negligentes com o dinheiro alheio, mas são muito cuidadosas com o próprio.”

        E isto é fato. As pessoas não valorizam o que vem dado, a começar pelos funcionários em instituições públicas antigos.

        Mas o grande ponto do post não é se o ensino deve ser público ou privado, o ponto principal do texto é: “Não faz sentido mantermos essa estrutura hiper custosa para a sociedade e termos apenas resultados medíocres.”

        E este é o ponto principal para todos os setores públicos Brasileiro na atualidade. Tiro como exemplo a diferença de uma obra feita por uma empreiteira e a mesma obra feita pelo exército. O Brasil precisa de uma grande revolução nos setores de cobrança e avaliação de qualidade de serviços!

    • João Renato discordo totalmente da sua visão, o Brasil é o maior exemplo de que as empresas do estado não funcionam e são ineficientes, o que foi comentado pelo canal do otário se refere a diferença entre o custo de cada aluno comparando universidades publicas x privadas o que pelo exemplo mostrado no post, deixa visível a diferença entre entre uma gestão que visa lucro e uma gestão mantida com o poder publico( muitos gastos desnecessários).
      Além do fato referente a diferença de custos, também podemos citar as diferenças entre as estruturas entre dessas universidades. De fato acredito que o melhor investimento fosse a privatização real de todo o ensino superior e o investimento no ensino publico fundamental e médio visando melhorar o ensino base, o governo então poderia manter o “dobro” de vagas com os valores que ele desembolsa atualmente para manter as universidades públicas pagando bolsas de estudos para alunos que apresentarem bom desempenho no ensino base e então atingir efetivamente o publico que não tem condições de pagar uma universidade.

      • Um dos motivos dessa diferença é que universidades como a USP possuem um corpo docente quase inteiro de professores doutores. Mais capacitados. Faculdades particulares nem chegam perto. Preferem um cara menos capaz para aumentar seus lucros. Se acha isso certo,então claramente você nao entende o que faz uma universidade ser boa. Quer viver na utopia de que o empresário é bonzinho e quer o melhor pra todo mundo.

    • /\ Típico argumento de nego que não sabe nem porque tem o cu no meio da bunda.

    • Vc não entendeu nada que o otario quis dizer, se você discorda então porque que na Coréia do Sul deu certo?

      • Porque lá não é Brasil. Não dá para simplesmente pegar um país como exemplo e tentar implementar o sistema deles aqui sem analisar profundamente o contexto.

        Existem vários países desenvolvidos com o ensino universitário público bancados totalmente pelo governo e que são de excelente qualidade assim com existe o oposto.

        A situação brasileira é, por pior que as universidades públicas sejam, elas ainda superam em qualidade as universidades particulares, se a situação já está ruim atualmente, a privatização muito provavelmente vai é piorar a situação da educação.

    • João Renato, ele falou para acabarmos com as faculdades publicas e não com o sistema FIES, sendo assim pobres continuariam usufruindo de ensino superior, sobre preço de mensalidade subir, não meu caro existe uma “lei” chamada lei da oferta e da procura, faculdade que cobrar mais caro fica sem cliente, simples assim! normalmente comunistas e socialistas de um sistema quebrado feito cuba não entende essa lei, ja privatizando as universidades publicas, os impostos iriam baixar, fazendo com que o pobre possa ganhar mais, ou comprar mais com o mesmo salario, podendo assim viver melhor e pagar o financiamento de seus estudos em faculdades privadas “FIES” agora se todo capitalista é facista, então todo socialista é comunista e comedor de criancinha.

    • João Renato, vou ignorar os gritos de “fascista” sendo que o Otário está pedindo menos estado e esse papo de “retrógrado”, etc.

      Harvard busca apenas o lucro? E os resultados? Não gera inúmeros prêmios Nobel para os Estados Unidos? Isso pois lá as pessoas de escolas públicas conseguem entrar por merecimento. Nossas universidades NUNCA geraram um vencedor de prêmio Nobel. Como você sabe o valor da mensalidade dessas supostas universidades privadas? O mercado ia alterar de tal maneira que a concorrência não permitiria, o estado ajudaria para manter um preço decente e, como dito no artigo, quem não pode pagar ganharia bolsa (desde que se esforçasse, é claro).

      Não adianta você pegar um aluno de escola pública (não importa sua classe social) no Brasil e, com tal base, mandá-lo fazer medicina na USP, ele não vai aguentar ou vai se formar com as calças na mão, é preciso ter base antes de tudo. O governo, com os cotismos principalmente, está fazendo o que é mais fácil, não o mais inteligente.

    • Vocês que estão comentando sem fazer contas, o custo médio de uma mensalidade particular é MUITO menor que o custo da USP, ou seja com muito menos dinheiro se paga o curso para quem não pode pagar, demorou para tornar essas universidades no mínimo fundações.

      Os estudantes que por mérito e condição social não puderem pagar que sejam agraciados com bolsas.

      E tem outra, enquanto um estudante de universidade privada termina o curso em 4-5 anos, o da universidade publica leva 7-9 anos pois fica BUNDANDO sem ter compromisso com quem paga sua universidade. Ora, o bolsista não pode vacilar, tem que se esforçar e manter um determinado nível de estudo para manter a bolsa. Ou seja ficaria muito mais barato até para o estado pagar!

      • Fui professor de privada e aluno de pública e posso dizer com total convicção: o aluno tem um ensino pior e com maior duração na PRIVADA. Isso mesmo!
        Tirando a merda de acontece com greves e afins, por reivindicações de melhores condições de estudo ou remuneração (nada contra, mas era chato pra caralh!), tudo anda perfeitamente e se forma SÓ QUEM CONSEGUE ESTUDAR. Não passa maus alunos, nem “peixes”, nem “filhinhos de papai”. Já na faculdade privada…
        Nem conto quanto processos destes “filhinhos” estão em juízo porque se formaram na OAB e não tiveram capacidade de passar num exame seletivo (e que não é classificatório, ou seja, vc só precisa fazer O SEU que você PASSA).
        Quantos maus bacharéis você quer andando por aí? Pois é isso que vai acontecer: passa quem paga.

        • Eu não entendi o que foi escrito, mas a OAB não é universidade e o Exame de Ordem não serve nem para limpar a bunda. O seu comentário foi preconceituoso com os advogados e com os Bacharéis em Direito.

        • Sou estudante de Universidade Pública e concordo com você Douglas, pois eu tive uma base de merda no fundamental e médio e para poder passar na matérias eu tenho que me esforçar bastante, e vejo amigos meus que estudam em universidades particulares não ter dificuldade nenhuma. já que eles tem dinheiro né.
          Esse método citado pelo canal seria interessante em relação aos custos, mas o acesso as universidades para alunos de escolas públicas e de baixa renda ainda é duvidosa.

    • Concordo com João Renato. Olhando pelo lado global de custos, os custos apresentados são até maiores. Mas isso é uma forma indireta de redistribuição de ensino e monetária.
      Em sua maioria, os estudantes que estão em faculdade mal conseguem pagar os passes estudantis (por isso a sua redução de custo, comparado com o restante da população: funcionário remunerado), como que eles iriam conseguir pagar gigantescas mensalidades de faculdades? Isso só iria manter o conhecimento (como supracitado) nas mãos dos que possuem poder aquisitivo.

    • Você realmente não olhou os valores que estão calculados ai em cima não é? Pense assim, o governo pode continuar gastando o mesmo valor que está agora, colocando todo mundo em universidades particulares, aonde o aluno irá custar menos da metade, ou seja, ele pode dar ensino para o dobro de pessoas com o mesmo custo, derrubando totalmente o seu pensamento.

      • O problema dos custos são a burocracia e corrupção, isso é que tem que ser resolvido, redução ao máximo da burocracia e maior fiscalização para reduzir a corrupção, aí sim o custo provavelmente seria equivalente às universidades particulares.

        Ao contrário do ensino fundamental e médio, a maior parte das universidades privadas são de péssima qualidade, já as universidades públicas ainda conseguem manter um nível mínimo.

        Esse que é o grande risco de privatizar, vai reduzir o custo do governo, mas como consequência, há um grande risco da educação como um todo ficar (ainda) pior no nosso país.

      • aham. e vc acordou? gasto por gasto o governo ia torrar essa grana de todo jeito. vc sabe bem disso =) mexe não! deixa do jeito que tá. (não se ofenda. foi só um comentário satírico, João) =D

    • João Renato, estatizar mais faculdades só vai gerar mais impostos prejudicando justamente os mais pobres. O atual governo adora uma estatal, afinal é uma grande oportunidade para corrupção, veja o caso Petrobrás.
      Essa ideia que “só elite teria direito ao estudo” não procede, já que a maioria dos alunos de universidades públicas são de famílias de classe média. Pobre mesmo que estuda na porcaria da escola pública acaba não passando no vestibular e indo pra faculdade particular. Você leu a parte das bolsas? Acredito que não.
      Não existe ensino gratuito, a questão é que o povo paga justamente para os mais afortunados não pagarem mensalidades, o sistema de bolsas seria muito mais justo.

  23. Concordo plenamente com o texto. O problema é que neste país (de merda), quando há privatização, os 1200 que supostamente deixariam de ser pagos por cada trabalhador, não retornariam em forma de “desconto” dos impostos devidos ou pelo menos desconto na nova Universidade Privada Ex-Pública. O imposto continuaria e a Universidade agora seria paga!

  24. Engraçado… Privatiza essa merda e vc vai ver a pesquisa e o ensino ir para o pqp…

  25. eu penso assim: o cara estuda a vida toda na escola particular, faz cursinho caríssimo, entra na USP, ganha um carro zero do pai e não paga nada na melhor universidade do país. O cara pobre estuda na escola pública, quase sempre sem qualidade, se estudar muito é zoado, até hostilizado pelos bagunceiros, se conseguir pagar cursinho ainda vai ter dificuldade de passar na USP. Acredito que quem tem dinheiro também tem direito de estudar na USP, mas tem de contribuir como se estivesse pagando uma Universidade particular, porque deve ser gratuito pra quem não tem condições.

    • Como você falou, o problema aí é justamente o sucateamento dos ensinos fundamental e médio. Acabar com as universidades públicas é como reclamar que o colchão novo não presta ao chegar em casa e pegar a mulher com outro cara. Todo mundo sabe que as nossas escolas públicas são verdadeiras porcarias, não adianta inventar cotas, impedir os ricos de entrarem nas universidades públicas ou acabar com elas, se o problema é o ensino base, é ele que tem que ser consertado e não tentar inventar soluções mirabolantes.

      Maaaas isso leva décadas para surtir efeito e como bem sabemos, qualquer coisa que não seja imediatista não gera votos, logo nenhum governo está interessado em se envolver com esse problema.

      • Exatamente, “as verdadeiras cotas” seriam os ricos pagarem, mas sem a parte de boa vontade política (sic), como bem foi concluída acima, nem isso… :/ :S

        • Pagarem também diretamente* // Mas também impossível, falcatruariam no “piso” da renda para aliviarem os “AAAA…”, né ? :? :S

        • Ué, mas é exatamente ISSO que a privatização permite, os ricos pagando e os pobres recebendo BOLSA. Aliás se trocar o “palavrão” privatização por democratização dá exatamente na mesma.

      • Olhe os custos dessas universidades públicas… Já viu o investimento que é preciso para mantelas? E que tal esse dinheiro investido nas escolas públicas? Professores do ensino básico ganham mal, e a infra estrutura é bem ruim..
        Investir apenas nas universidades é reclamar com o cara que ta comendo sua mulher e continuar com ela.

  26. E, desde quando, a função de Universidade é só dar aulas? As universidades públicas são responsáveis pela maior parte da pesquisa no Brasil. Ou, você viu por aí alguma universidade particular fazendo pesquisa de base? As particulares nem querem contratar professor doutor porque custa mais caro.

    Podemos sugerir que o Brasil deixe de investir em pesquisa de base e só faça pesquisa aplicada — parece que essa é uma ideia que tanto a esquerda quanto a direita, medíocres, concordam. Façamos isso e veremos uma fuga dos nossos melhores pesquisadores para a Europa e os EUA, porque lá, pesquisa de base é bem vista — e então poderemos dizer olá à idade média.

    Como uma vez me disse um sábio professor da USP: “Dar aulas é aquilo que o pesquisador faz enquanto aguarda uma boa ideia. Se nós tivéssemos boas ideias todos os dias nem precisaríamos pisar em uma sala de aula.” Aliás, na USP, nenhum professor é avaliado ou promovido por dar aulas, mas apenas pela pesquisa que faz.

    Quando você quiser entender pra que serve a USP, não olhe tanto pras faculdades de ciências sociais e história, mas sim pras de matemática, física, química e biologia. Esses são os caras que furam greves. Esses são os cursos que você não encontra nas universidades particulares (eu estou falando de bacharelado, não licenciatura).

    • Me conta uma pesquisa pertinente que alguma universidade brasileira fez nos últimos anos que daí a gente conversa.

      • Temos peças em satélites (NASA), temos uma pesquisa de informática que fala para pessoas com deficiência visual o que está na tela, temos o maior banco de informações biológicas de climas tropicais…

      • Basicamente tudo que o Brasil não pode comprar de outros países, como as pesquisas da Embrapa (sementes para o clima tropical), vacinas (para doenças que só existem no Brasil) etc. O Brasil é muito bom em pesquisas que não acontecem em países de clima frio como Canadá, França, Suíça, Japão, Rússia, Alemanha, Itália, Espanha, entre outros.

        Para resumir, pesquisas da Embrapa e pesquisas na área da aviação. A extensão territorial do Brasil, principalmente da Amazônia, a dependência tecnológica, entre outros motivos, obrigam o Brasil investir no desenvolvimento da aviação civil e militar. O Brasil é totalmente dependente da aeronáutica. Isso não acontece em países europeus, onde o clima frio e a infraestrutura favorecem outras formas de transporte, como ferrovias e embarcações, que custam mais barato.

        Esqueci de citar outra instituição, a Fiocruz. O Brasil é pioneiro nas duas áreas: Em sementes e vacinas para o clima tropical, e na área da aviação civil.

  27. Sou fã do Canal do Otário porém discordo deste texto. Primeiro, deixar claro que público e gratuito são dois conceitos distintos. Na França, tem universidades públicas e não-gratuitas. No Brasil, o conceito se confunde porque a Constituição obriga o ensino público a ser gratuito. Porém, o ensino poderia ser pública e não-gratuito.

    Segundo, a universidade é quem gera pesquisa e inovação para o país. Uma instituição privada visa apenas o lucro e não tem responsabilidade com o futuro da nação. Tirando raríssimas exceções, as universidades privadas não fazem pesquisa. A universidade pública é essencial para trilhar o futuro de um país independente tecnologicamente.

    A Coreia do Sul, citada como exemplo, não só investe na educação básica, como no ensino superior também. Comparação infeliz e mal feita.

    Aliás, o Brasil é um dos países que menos investe em pesquisa em % do PIB comparado com os países ricos. Ou seja, o Brasil precisa investir mais com as universidades se quiser ser um país desenvolvido.

  28. João Renato aí só falou bosta. É mais um que tem pavor de homens engravatados – os porcos capitalistas. Primeira coisa é, ouviu falar em privatização ja puxa do pacote de ofensas palavras como fascista. Ora, por este e outros seres, é que o Brasil não vai pra frente. Não conseguem enxergar que se privatizada fossem as universidades – no caso aqui todas – eliminariam aqueles professores babacas que se acham os intocáveis; quem pudesse pagar pagaria e, quem nao pudesse receberia auxílo do estado – ou você não conseguiu ler o texto até o fim porque parecia opressor demais?; teriamos uma qualidade absurda e os preços cairiam pois esse é o fruto da concorrência – ou eu duvido que entre dois produtos de qualidade igual porém, com preços diferentes, você pagaria pelo mais caro; e MAIS ainda o fato, de filtrar, isso mesmo, filtrar alunos de maneira bem mais eficiente, pois entraria quem realmente tem mérito – mais uma opressão chamada meritocracia, porque sinceramente eu duvido você ficar quieto, se aonde você trabalha, ou quando você estudava, você ficava “numa nice” quando alguem que fazia o dito cujo pior que você, e ganhasse mais.
    Elite elite elite, parece que não vê que inúmeros da elite vivem nessas universidades. Mas cá venhamos, vamos negligenciar o lógico, ignorar as formar de governo inteligentes, só pra não dar o braço a torcer, só pra não ter que dar dinheiro pra um porco “capetalista”; e claro, fechar os olhos pra educação de verdade que existe nos países com economia mais livre.
    Bem, saquem suas ofensas e mantras anti-direitista contra mim. Não sou nenhum milionário, mas claro, vocês negligenciarão isso também. xD

  29. E quem pagaria as bolsas de estudo? Pra mim isso seria trocar 6 por meia dúzia, ou pior.

  30. Joao Renato, acho que vc nao deve ter lido o texto na integra
    ou leu enquanto fazia qualquer outra coisa…. e digo mais vc deve morar uma em uma bolha

    vou tentar ser o mais direto possivel, concordo com o autor do texto
    pq a universidade publica que eh paga com o dinheiro de todos, tem um metodo de acesso falho a realidade brasileira

    estou dizendo que a universidade publica, custeada com o dinheiro do povo apenas atende os filhos da elite

    ou vc acha que quem estudou em escola publica compete em plena igualdade com quem estudou em escola privada???

    esta medida apenas tornaria o processo justo, fazendo quem se vale da estrutura, pagar por ela

    e quanto aos pobres que nao tem dinheiro pra pagar a mensalidade,
    ele sujere um sistema de bolsa pra quem tem baixa renda mas uma boa nota no vestibular

    ao meu ver isso nao tem nada de facista…… muito pelo contrario
    12 bilhoes poderiam ser revertidos em benfeitorias para a populacao

    • Então porque não começar pela correção do ensino fundamental? Com um ensino base de qualidade, todo o restante iria ser ampliado gradativamente…
      Corrigir pelo “fim” não é a solução dos problemas.

  31. Análise excelente. Fazer o pobre pagar pela educação do rico é uma das premissas do nosso “almoço grátis de cada dia”, Tornar as universidades sejam fundações, sejam privadas tornariam os cursos mais baratos, e BOA parte do dinheiro que os mimizentos estão reclamando que “sobraria” poderia ser utilizado para financiar bolsas de estudo para quem REALMENTE precisa, independente da instituição escolhida. Ou melhor, uma parte dos 1.200/anuais que todos pagam hoje para sustentar a gratuidade para privilegiados poderia simplesmente deixar de ser arrecadada, sobrando mais dinheiro no bolso de TODO paulista.

    Reparem que por exemplo a nossa receita federal limita os descontos com educação em míseros R$3.200/anuais, muitas vezes um pai separado é obrigado a pagar uma escola cara pelo juiz, mas não pode deduzir mais que os 3.200/anuais. Na hora de roubar seu dinheiro o Estado é eficiente.

    Sério não consigo entender como se consegue amar tanto um poder que te rouba, cobrando impostos dos mais caros do planeta e lhe devolve migalhas.

    • Venho de família pobre da periferia de São Paulo, estudei a vida toda em escola pública, estudei mtoooo e me formei em engenharia elétrica na Unicamp. Jamais teria condições de arcar com uma faculdade particular. A idéia de que para melhorar o ensino fundamental e médio públicos é necessário acabar com a universidade pública não possui lógica ou fundamento. Acho o Canal do Otário sensacional, mas não concordo com a idéia de privatizar as universidades públicas. Os bilhões de reais consumidos pelas universidades não são gastos inúteis, representam investimento em ensino e pesquisa de alta qualidade. Imaginem se no Brasil só tivéssemos engenheiros (construindo usinas, prédios, pontes, etc) formados pela Unip, Uniban e afins. Imaginem se só tivéssemos médicos e cirurgiões formados pelas faculdades Estácio de Sá (na qual até semianalfabeto já foi aprovado no vestibular) e Anhanguera… Algum carioca estaria seguro morando ao lado da usina nuclear de Angra dos Reis e sabendo que ela foi construída e é operada por engenheiros provenientes da ilustre Estácio de Sá, gabaritados pela mais moderna didática EAD – telepresencial…??!!

      • Concordo totalmente com você.

        O que eu vejo como os dois maiores problemas das universidades são, a burocracia que leva uma grande parte da fatia da receita delas e o investimento praticamente zero na educação base.

        Privatizar as universidades só iria gerar benefícios a curtíssimo prazo, mas em pouco tempo essa “solução” vai se tornar é o problema.

      • Rodrigo, a Unicamp (e outras publicas) so é boa porque soube atrair gênios através de cursos gratuitos e de qualidade. Se não existissem publicas, existiriam particulares tops que iriam suprir a demanda de pessoas lapidadas e como consequência poucas Universidades particulares topariam encarar a concorrência, já que os gênios vão pra X, aqui pra Y Uniesquina que elas não iriam, tlz os medianos e eles não teriam o mesmo status de um cara da X. Aí quem sabe nos teríamos nossas Ivy League. Os bilhões das Federais deveriam ir para o Ensino de Base, assim que ocorre nos EUA, onde um estudante de escola publica americana tem as mesmas chances de um americano de escola de elite e um europeu de uma escola rígida na Suíça. Os Universitários que não podem pagar teriam acesso a bolsa mérito (aos de baixa renda) ou seriam pagos pelo proprio Governo através de bolsa ou financiamento. Essa condição de fato já eliminaria alunos ruins/medianos.
        SE analisar bem verá muitas particulares Tops são superiores a várias Federais espalhadas no Brasil. No BR muita particular Uni costuma ter vaga Ilimitadas, pois recebe muitos aluns defasados de Colégios Públicos e de baixa renda que não conseguem acompanhar o curso. Essa situação “queima” a imagem das Universidades e até mesmo dos que tiveram potencial para concluir o curso. Não é a toa que vc possui essa visão preconceituosa dos estudantes das Universidades Particulares, de seu método de estudo, embora acredite que vc possa se sentir envergonhado se um desses for teu patrão ou intimidado se um Engenheiro de École polytechnique fédérale de Lausanne lhe roubar sua vaga. Por isso defendo um Ensino de Base bom, para que todas as Universidades sejam excelentes numa competição global e nossas Universidades atrair MILHARES de intercambistas. Não é bacana ver que a USP não sai da 200 posição há anos. Eu passei tb na Estadual de SP, mas por motivos financeiros não pude ir na época e escolhi outra faculdade.

  32. É triste ver pessoas gritando aos 4 ventos que a privatização faria que apenas os ricos entrassem nas faculdades públicas sendo que atualmente quem é pobre mesmo estuda em faculdades particulares. Primeiramente que o rico que estudou nas melhores escolas que ficarão com as vagas em federais na maioria das vezes.

    E afinal na faculdade particular os horários são respeitados e o pobre pode trabalhar pra se manter.
    Na particular o pobre não precisa se preocupar em ter que ficar quase o dobro do tempo do curso (Por causa de greves) e consequentemente ter que gastar ainda mais dinheiro com os custos.
    Na particular os alunos podem ter voz realmente ativa lá em relação aos professores e etc. Afinal o professor só está trabalhando lá pq merece e está fazendo um bom trabalho não por causa do concursinho.

    Além que com a privatização viria a concorrência e com esta viriam os preços mais acessíveis e qualidade maior.

  33. Desculpe-me, mas essa é uma saída impensada e irresponsável. Seria algo ridículo na situação de ensino atual do país.

    O atual cenário Brasileiro de educação superior se resume justamente no seguinte: as universidades públicas são boas, e as universidades privadas são, geralmente, um lixo. Dentre as melhores instituições de ensino no país, em qualquer ranking, todas são públicas, onde a USP e a Unicamp lideram as posições.

    Isso se deve por dois motivos. Primeiro, o ensino superior privado se tornou um mercado onde o produto é o diploma. Segundo, o ensino publico seleciona os melhores alunos por meio de vestibulares e prioriza as pesquisas. No primeiro caso, as instituições privadas se tornaram uma alternativa fácil para quem não quer estudar muito, ou ter muito trabalho, para conseguir o tão sonhado diploma. A prioridade dessas instituições se tornou formar alunos, incompetentes, para o mercado de trabalho, e não formar cientistas e pesquisadores. Já no segundo caso, temos instituições que selecionam seus alunos, de maneira em que os melhores terão o direito de estudar, e que o foco não é o mercado, e sim as pesquisas. Por isso essas instituições se classificam muito melhor nos rankings, pois eles basicamente analisam a quantidade e qualidade, ou relevancia, de pesquisas, dentre outros fatores.

    Em uma coisa o texto está certo, as melhores instituições não são para todos, porém todos pagam para isso. Na USP, cerca de 70% dos ingressantes vieram de escolas particulares. É um número absurdo sim, porém é a realidade do ensino fundamental e médio no país. Em qualquer instituição boa de ensino, em sua maioria, os alunos vieram de escolas particulares. E é justamente nesse ponto que percebemos que algo está errado, e que alguma coisa deve ser feita. Se a solução é criar bolsas para aqueles que não tem condições, essa bolsa deveria ser criada para que alunos ingressem em ESCOLAS particulares, para que possam competir igualmente nas UNIVERSIDADES publicas, até que a situação atual das escolas públicas mude para melhor.

    O maior erro do texto é confundir ensino privado com ensino pago. As melhores universidades do mundo são públicas, porém pagas. É costume nos Estados Unidos, Canadá e Europa começar a juntar dinheiro para universidade assim que seu filho nasce. Porém, isso não significa que isso iria funcionar no Brasil, e muito menos que se deva privatizar as universidades publicas. Além do mais, o maior obstáculo para a USP em subir no ranking é publicar artigos em inglês e internacionalizar a instituição, como visto na ultima avaliação, onde a instituição caiu de posição justamente por perder pontos nesses quesitos.

  34. O problema não é o estado bancar as universidades, como sempre a culpa desse custo é a má administração e a burocracia, eu chutaria facilmente que pelo menos uns 70% é gasto nisso.

    A primeira questão é resolver o ensino fundamental e médio públicos, falta tudo, infraestrutura, professores minimamente qualificados, o próprio salário dos professores, na situação atual o professor é tratado como lixo pelos alunos, pais dos alunos e o governo. O objetivo da escola deveria ser educar e não simplesmente passar automaticamente todos os alunos. Infelizmente esse problema ninguém quer resolver, já que melhorar a educação leva décadas e ninguém quer perder voto.

    Como essa solução não dá voto já que os primeiros resultados só iriam ocorrer uma ou duas décadas depois, o governo tenta tapar buracos usando o sistema de cotas, o que eu sou totalmente contra, mas isso é outra discussão.

    A única forma de ter qualquer estudo de ciência por aqui é com universidades públicas, quase não existe empresas que queiram investir em pesquisa e desenvolvimento por aqui, o mesmo é válido para as universidades particulares, esse é um dos principais motivos para se manter essas universidades.

    Ainda sobre os pesquisadores, novamente o grande empecilho é a burocracia, para conseguir qualquer material são meses de enrolação, em muitas universidades para piorar jogam a carga horária de aulas no máximo, praticamente impedindo os professores de realizar as pesquisas por falta de tempo.

    Quanto a privatizar a educação, um exemplo que ocorreu foi a extinção das escolas técnicas no governo do FHC, isso só piorou a crise de mão de obra qualificada, acabar com as universidades públicas só vai piorar esse cenário.

    TODOS os problemas do nosso país estão amarrados à burocracia e corrupção, seja na área de educação, saúde, infraestrutura, segurança, etc, etc, etc.

  35. Por favor, apenas reflitam para evitar o modelo americano.
    http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1259

  36. Dependesse de mim eu privatizava tudo! o método de seleção (vestibular) brasileira aos olhos de qualquer estrangeiro é vergonhoso.
    Pessoas, já passei em Univ Publica, a Estadual de SP e por experiencia própria, apesar das ações afirmativas, só os privilegiados financeiramente possuem acesso total a essas Universidades ditas publicas e gratuitas. Nosso problema está no ensino de base. Esses milhões, bilhões destinados as Federais, deveriam ir integralmente para as Escolas de nível Fundamental e Médio e assim formar pessoas capazes de aprender, discernir e aplicar o conhecimento adquirido. Decorar, esquecer, não é aprender. Se privatizar:
    As Particulares medianas/ruins vão cair por terra e so vão sobreviver naturalmente as Universidades Particulares Tops, pois há gênios, ricos, pessoas preparadas intelectualmente nelas e os interessados (setor privado, a própria universidade com sua bolsa mérito, empresas de todo ramo: tecnologia, esportivo) que busca investir nesses Universitários e consequentemente em suas empresas.
    Nos EUA, um americano de escola publica tem as mesmas chances e condições de encarar Harvard como aquele americano que cursou High School numa particular de elite ou num Colégio da Suíça, daqueles que atendem a monarquia e filhos de políticos, diplomatas.
    Vejam as estatísticas no site da Fuvest sobre os aprovados em cursos de enorme concorrência, muito aprovado lá com renda acima de 10, 20 salários e em cursos de baixa concorrência (e olhe lá) a maioria dos aprovados são de baixa renda.
    Não culpo nem rico, nem pobre, nem ampla concorrência e nem cotista. Nosso problema é o Governo!!!

  37. Concordo com o canal mas a universidades deveriam sim privilegiar o pobre ou sendo para entrar na universidade o aluno teria que ser oriundo da escola pública tendo apenas um percentual para quem é da particular no minimo 80 porcento para quem estudo a vida toda na escola púbilca com certeza os filhos dos ricos iriam migrar para escola pública trazendo melhorias para a mesma .

    • Você acha MESMO que um filho de rico vai para escola pública? E que tal se ele só se matricular tomando espaço de um pobre na escola pública e continuar no Vértice pagando R$3.800, ai ele chega no enem e tritura os pobres além de conseguir vaga na cota.

      O problema meu caro é a falta de qualidade no ensino fundamental e médio que teria um investimento considerável se a verba para manter os playboys nas universidades públicas fosse utilizado no ensino de base.

  38. Muito bom Otário! Faça vídeos sobre isso e faça mais conteúdo sobre os benefícios da privatização, chega da demagogia estatista apodrecendo o Brasil, se a Petrobrás fosse privatizada como é a Vale nunca teriam roubado 1 centavo, mas por culpa do estatismo lá se vão + 88 bilhões

  39. Do ponto de vista jurídico as universidades possuem autonomia administrativa e financeira. As universidades públicas deveriam ser privatizadas, isso é óbvio, mas sem prejudicar a sociedade brasileira. Se as universidades brasileiras tivessem autonomia financeira de verdade não precisariam do dinheiro do governo.

    Quem mora em Belo Horizonte sabe que a UEMG (Universidade do Estado de Minas Gerais) é ruim. É possível privatizar sem entregar para empresários.

    Privatização é um assunto polêmico. No Japão o ensino fundamental e médio é de graça, mas as universidades do governo japonês cobram mensalidade dos alunos. E o Japão é um país desenvolvido. Na Argentina todas as universidades são públicas e gratuitas, mas não são melhores que as universidades brasileiras.

    Ao invés de usarem argumentos falaciosos, expliquem, com exemplos, como privatizar as universidades brasileiras sem entregar para empresários. É um assunto polêmico e o texto do Canal do Otário só apontou os problemas sem apresentar uma solução.

    • Há algum problema em tornar universidades fundações? A receita financeira viria de doações e da mensalidade dos alunos. O Estado contribuiria com verba para bolsa diretamente para cada aluno. Cobrar mensalidade não é necessariamente transformar a universidade em fonte de lucro, é deixar de ter a universidade como um peso grande no sistema público de ensino. Como ficaria o ensino fundamental com alguns bilhões a mais advindos de um programa de desestatização de universidades?

      • Parece que em São Paulo existe uma lei estadual que destina uma porcentagem do PIB para as universidades estaduais paulistas.

        Em Minas Gerais existe a UEMG, mas é ruim. Existem universidades públicas ruins no Brasil.

        Eu não pesquisei o assunto, mas como as universidades possuem autonomia administrativa e financeira, bastaria uma canetada para cortar os repasses de dinheiro para as universidades.

        O problema são os políticos brasileiros fazendo politicagem com o chapéu dos outros.

  40. Ou essas pessoas que estão contra o raciocínio descrito no artigo são trolls ou então são muito burras que nem se quer conseguem interpretar um texto. Não vale nem a pena argumentar com gente assim.

  41. Prezado homen do saco na cabeça e da voz distorcida. Você acabou de mexer sobre este assunto por duas possíveis razões: Ou (1) você tem perdido força nas suas publicações; ou por (2) uma baita ignorância sobre o assunto. Pegar dados da internet a partir de um computador não lhe faz necessariamente um bom entendedor do tema, você está totalmente descontextualizado. Já ouviu falar em grupos como kroton, anima e estácio? Você sabe o porque existe o fies? Estou lhe dando a causa e a consequência. A grana que esta turma ai recebe e que sonegou desde o governo FHC supera e muito os valores que você está relatando. As universidades particulares NÃO ESTÃO E NEM ESTARÃO PREOCUPADAS COM CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO E EXTENSÃO. Fazem ações que são somente “para inglês ver” em sua esmagadora maioria. Se tiver um programa pós-graduação em matemática ou física vai fechá-lo se ele não der lucro na primeira oportunidade. Os alunos mandam nelas porque elas preferem perder um professor a quem ela paga do que perder um aluno que a sustenta. São VENDEDORAS de diplomas. Você tem noção dos ataques sistemáticos que as universidades públicas no brasil sofrem seja de empresas privadas ou do próprio governo? De onde os melhores profissionais brasileiros saem em sua maioria? Não é só pobre que vai pro ensino público. São os melhores alunos disponíveis que vão pra lá seja ele qual for, porque lá o ensino é melhor. Você não tem noção da complexidade estratégica para um país que envolve este assunto. Uma dica preciosa para você: concentre-se em um tema ou outro por muito tempo para ter maior visibilidade.

    • Leandro: Já ouviu falar do Ronald Levinsohn, dono da UniverCidade? E do Olavo de Carvalho? Então conheça os fatos: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ronald_Levinsohn

      • Olha xará, não gosto de wikipedia e pra mim não é uma fonte séria e confiável para se fundamentarmos um raciocinio forte e robusto com todo respeito. Mas tratando-se de um Americano vindo para o Brasil associando seu nome à educação é no minimo suspeito. Esse brasileiro não o conheço. Em se tratando da uemg (que foi parte de seu comentário acima) a lei 100 caiu, ela foi estadualizada e é irreversível. Os concursos para elas já estão abertos e continuaram para os próximos 3 ou 4 anos. Uma curiosidade é que elas serão muito melhores estadualizadas com professores e servidores concursados, do que quando eram mantidas por suas fundações por indicações. Cobrar taxas racionais dos alunos nas públicas para auxiliar na manutenção de alguns serviços e apertar os cintos quanto as regras de reprovação e matrículas sou a favor.

        • Discordo totalmente do Otário dessa vez. E concordo totalmente com o Leandro Vinhas. Eu me formei em Universidade pública, gratuita, minha família não teria a menor condição de me dar outro tipo de educação. Financiamentos não existem pra pobres que não conseguem nem manter o nome fora do SPC. Fui professor em faculdades particulares e curso pós graduação em Universidade pública. A diferença na qualidade é assombrosa! O mercado, em breve, será inchado com uma corja de profissionais de baixa qualidade devido às Faculdades particulares.

        • Eu escrevi o verbete sobre o Ronald Levinsohn na Wikipédia. Ronald Levinsohn é brasileiro e judeu, do Rio Grande do Sul, autor de uma fraude nos anos 1980, quando era dono do Grupo Delfin, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Hoje evita viajar em companhias aéreas brasileiras. Possui amigos na Rede Globo e na imprensa. Um criminoso. Possui um apartamento em Nova York e uma casa no Rio de Janeiro.

          A UniverCidade foi lavagem de dinheiro do Ronald Levinsohn. Ele investiu na universidade privada o dinheiro roubado nos anos 1980. Hoje possui outros negócios, como a produção de soja na Bahia, mas a empresa está no nome das duas filhas, socialites no Rio de Janeiro.

          Pesquise no Google: Caso Delfin.

      • Xará, estou procurando aqui. Obrigado.

    • E você acha que as públicas estão interessadas em pesquisa, melhoria acadêmica? acorda… o estado só piora tudo em que mete a mão… só estão interessados em receber seu salário de servidor público e não ser exonerado. Com o incentivo certo as privadas podem suprir bem a área de pesquisa também, com a vantagem da eficiência na gestão.

      • Caro Ricardo, não viva no fantástico mundo da carochinha ou falando de algo que não conheça e não viva. Não fale asneira. Eu opino e falo do que é a minha realidade. Sou servidor por mérito, vocação e opção pessoal. Você não sabe como as coisas funcionam DE FATO. Ao todo em muitas universidades em média 40% do orçamento anual administrado pelo próprias universidades servem para pagar serviços terceirizados que estrangulam o orçamento delas. Isto foi imposto goela abaixo em governos anteriores. Empresas terceirizadas estas que possuem ligação dentro do legislativo e executivo brasileiro. Sugam o seu dinheiro e do otário e só você não vê isso. Já viu uma concorrência no setor público? Quando veem que é público aumentam valores, dificultam o processo… ou uma obra em uma universidade? Nunca é entregue e só você não entende o porque… Porque querem o dinheiro da concorrência e do ADITIVO AO CONTRATO QUE É BEM GORDO. Nas universidades a falta de servidores e professores é ainda muito grande. Depois disso tudo, quando tomam os jornais notícias sobre “greves” não entendem o que querem dizer as informações por trás deste fato. A pergunta que deve ser respondida é a quem internamente/ externamente isto serve. Privatizar? O processo já está acontecendo há muito tempo só o otário e você que não se deram conta disso..
        Incentivo do governo federal para a pesquisa nas particulares? Isso já existe, mas as “coitadinhas” das particulares não podem se debruçar e fazer seus projetos junto às fundações de amparo pesquisa brasileiras em todos os estados. Isso tudo porque os contrato são exclusivamente para aulas. Todas as fundações de amparo recebem projetos das particulares, ou você em vive em outro planeta ou é muito desinformado. Pegue os relatórios anuais de produção em CTI nas agências de fomento, tenha a curiosidade para saber se elas realmente querem isso para si. Isso já basta para trazer luz à sua ignorância. A lógica é o lucro só isso.
        Outra coisa, seja homem e mostre a sua cara.

    • Meu rei, você vai me desculpar, mas tirando com base os países da União Européia, Canadá, Estados Unidos e Austrália, sem contar Japão e China, estamos falando de todas as universidades ditas Públicas, serem PAGAS (privadas), devido a vários fatores, liberdade de publicação, livre arbítrio (muitos não entenderam isso, mas posso explicar depois), liberdade de financiamentos, devido que empresas privadas investem diretamente em publicações e ações universitárias, viasando lucros, se visam lucros é porque fomenta o mercado, se fomenta o mercado gera dinheiro e gera retornos para ambos, é uma via de mão dupla, sendo asssim ajuda o crescimento projetos, corpo docente, dicentes etc. Com isso ele estão incentivando a publicação científica, no qual é o pricipal objetivo de uma universidade. Formar alunos é fácil, mas formar pensadores, desenvolvedores, empreendedores e demais, é muito mais complicado, e não é uma tarefa simples. No Brasil quando comparamos o nível de publicação científica e de notoriedade no mundo, vemos uma VERGONHA, paises como Chile e Argentina publicam mais do que nós. E como todos sabemos as publicações no Brasil saem de faculdade públicas, que sofrem para receber dinheiro do governo para manter adequados os laboratórios, o que dirá de desenvolvimento científico e tecnológico. Para mim a privatização seria o caminho, mas com FISCALIZAÇÃO feita pelo governo. Comparar universidade públicas no mundo intereiro com as universidades públicas do Brasil, é quase que incomparável. Devemos focar na educação básica e fundamental (pública e de qualidade), e privatizar as faculdades públicas, focando e objetivando a publicação, desenvolvimento, pesquisa, e porque não, em como ser um empreendedor.

      • Privatização não é , nuca foi e nuca será o caminho. Você fala que privatizar é necessário e que daria certo se o governo administrar da forma correta assim como um melhor ensino básico. Mas vc se esquece que o governo é um só, e que portanto o mesmo governo que afunda o ensino básico estaria encarregado de fiscalizar as novas universidades privadas.Em geral as universidades privadas no Brasil são uma piada, com raras exceções. Com a privatização das universidades você só estaria piorando as coisas. Você compara as universidades privadas ao redor do mundo com as públicas brasileiras, mas se esquece de que quem faz a universidade privada lá fora é mil vezes mais competente que quem faz a universidade privada aqui no Brasil, como esperar melhores resultados de uma universidade privada dessa forma ?

    • Concordo com o Leandro Vinhas, e acho que devemos tornar mais sérios e rigidos as seleções das pesquisas que usam dinheiro público, bem como cobranças mais sérias com os resultados.

  42. Essa política de priorizar o ensino básico e fundamental, e cobrando mensalidade nas instituições de ensino superior (inclusive as públicas) não é adotada apenas na Coreia do Sul, mas em muitos países de primeiro mundo, como os Estados Unidos e Canadá, por exemplo.

    A razão é muito simples: A formação da personalidade e caráter de um individuo, se dá na infancia e vai até a adolescencia. É nessa fase da vida que é formado o que vai definir uma pessoa pro resto de sua vida. Ao negligenciar isso, o governo brasileiro, condena gerações inteiras à serem cidadãos de segunda, e até de terceira classe.

    Por isso vemos tanta bandalheira no Brasil, cometidas inclusive por médicos que faltam ao plantão, mas alguem bate o ponto em seu lugar, por exemplo.

    Esse médico deveria ter incrustradas na sua mente, noções de ética e de honestidade.

    O mesmo acontece com os políticos, e muitas outras atividades por esse país afora.

    Precisamos rever esse modelo, focar em uma educação de qualidade para as crianças, profissionalizando os adolescentes, e aqueles que querem perseguir um curso superior, devem pagar por isso, ou conseguir alguma forma de patrocínio, pois isso ocorre nos países que eu citei, em casos de alunos que se sobressaem nas escolas, de alguma forma, como pratica de esportes, por exemplo.

    Se analisarmos pelos resultados, facilmente constataremos que o modelo norte-americano é muito mais eficiente.

    Basta ver os mais de 20 premios Nobel que o Canadá possui. A pergunta é: Quantos nós temos no Brasil?

    • A resposta é fácil: ZERO ;-)

    • Luiz Nobre do canal AcordaBrasil?

    • Luiz Nobre, então a formação do caráter e personalidade de uma criança depende do ensino básico ?! Sério ? Pensei que fosse pai e mãe e uma boa estrutura familiar. Então se a criança tiver um bom ensino básico durante as 7 horas diárias que ela passa na escola ela possuirá uma boa formação de caráter e personalidade? Então como você explica o fato de muitas pessoas passarem bor um ótimo ensino básico e se tornarem adultos de mal caráter ?

      • Amigo.. Na escola é que a criança tem seu contato realmente com a sociedade. Agora, tudo que ele aprende, leva pra casa. Se ele tem uma escola de qualidade, onde valores como caráter e respeito ao proximo são ensinados, o que você acha que ele leva pra casa? É claro que os pais são responsáveis por esses valores também, mas do que adianta um pai ensinar uma coisa e a escola outra?

        • Escola ñ tem obrigação de educar filho de ninguém não cara ! Ela tem contato com a “sociedade” ?! Ela tem contato com outras crianças que trazem pra escola oque aprendem em casa e passa isso para outras crianças, e essas por sua vez repetem isso em casa, sendo assim, meia duzia de crianças que aprendem merda em casa ensinam isso para as outras crianças na sala de aula. Professor não tem que ser pai e mãe não. Se você foi largado pela sua família em uma creche durante o dia todo e tudo que aprendeu foi ensinado pela “tia” e não pelo seus pais, eu não posso fazer nada, não tente estender isso para outras crianças.

        • E é por isso que a educação básica hoje forma verdadeiros analfabetos funcionais, pois na escola, valores como respeito ao próximo entre outras coisas… Meus país me ensinaram a respeitar todos, principalmente os professores.. E quando um colega meu desrespeitava alguém, o professor reclamava com ele, pois o que estava fazendo era errado..
          Você provavelmente acha que escola é uma industria e que as crianças tem que memorizar tudo .. E você pelo jeito também não faz nem ideia do conceito básico de sociedade, pra afirmar que a escola e o convívio com outras crianças não faz parte da sociedade.. Só isso ja prova como o atual modelo é falho.. Seu argumento só mostra o quanto é preciso investir em escolas que ensinem de verdade e não somente empurrem informação goela a baixo…

        • Pais* .”E é por isso que a educação básica hoje forma verdadeiros analfabetos funcionais, pois na escola, valores como respeito ao próximo entre outras coisas”, como ? Explica oque você quis dizer aqui por favor. Você mesmo confirma meu argumento quando diz ” Meus país me ensinaram a respeitar todos, principalmente os professores”, e quando você fala ” E quando um colega meu desrespeitava alguém, o professor reclamava com ele, pois o que estava fazendo era errado” você mostra que essa aluno não recebeu uma educação devida em casa, ou simplesmente ignorou oque os pais lhe ensinaram, então me diga, uma criança que ignora os ensinamentos dos pais ou que não recebe educação por parte deles levaria em consideração a opinião de um professor ?
          Eu não acredito que a escola é uma industria e muito menos que as crianças tem que memorizar tudo, só estou dizendo que a formação do caráter como você disse, não se atribui a escola, e que se a criança não tem uma educação previa de nada adianta ensinar cidadania para as mesmas.
          E sim eu tenho entendo o conceito de sociedade, eu só considerei oque você disse um tanto quanto exagerado “Na escola é que a criança tem seu contato realmente com a sociedade. ” Então antes da escola ela não tinha contato com a sociedade ? Por acaso ela vivia trancafiada ?
          Você acredita que a escola atual não ensina de verdade? ou são as famílias que estão cada fez mais, mandando crianças que não tem uma educação básica para começar a aprender. Ou você acha que é função da escola ensinar um aluno de ensino fundamental que pular em cima da cadeira enquanto um professor tenta ensinar é algo normal ?

  43. Penso que a melhor opção seria transformar as atuais universidades públicas em universidades públicas e não-gratuitas, adicionado aos programas de redução/retirada de custos para alunos comprovadamente sem condições de pagar. E os valores arrecadados poderiam ser investidos na educação básica, com professores mais bem pagos, aulas práticas, desenvolvimento de projetos, inglês (de verdade, não o que é ensinado atualmente), música, teatro, etc.

    Com as universidades continuando públicas (como empresas do governo), os rumos de investimento e pesquisa continuariam sendo definidos pelo estado, e não pelo comércio. Assim, o nível dos resultados se manteriam (ou até melhorariam, se estudarmos as consequências dos investimentos na base).

    Na Suécia (onde moro atualmente), o ensino básico é o foco de investimento. Por aqui todas as Universidades são públicas e gratuitas, mas só porque o país conseguiu atingir um nível de arrecadação e gerenciamento de investimentos que possibilita a manutenção do sistema.

    Porém, alunos de fora da UE e que não trabalham na Suécia (ou que não tem algum tipo de bolsa) tem que pagar pelos cursos, mesmo as Universidades sendo públicas. Já o ensino básico de qualidade é oferecido a todas as pessoas, independentemente de classe, país de origem, situação profissional, etc.

    Nos Estados Unidos (que tem uma cultura de arrecadação de impostos e investimentos mais próxima a do Brasil), as universidades tops são todas custeadas pelo próprio aluno (e não são baratas). Os resultados de pesquisas são infinitamente melhores que os brasileiros das universidades públicas e o acesso é facilitado a todos (por terem tido educação básica boa suficiente para passar nas melhores universidades). Os melhores alunos conseguem bolsas para estudar de graça. Já os menos geniais podem recorrer a financiamentos, a serem pagos após a entrada no mercado de trabalho (muito similar ao FIES do Brasil). Então o pobre chega na universidade com a mesma qualidade de conhecimento que o rico, devido ao fortalecimento da base, que deixa todos os pré-universitários no mesmo nível.

    No Brasil, não podemos tomar decisões com base em teorias socialistas que nunca saem do papel. As decisões devem ser tomadas com base na realidade do país, que hoje é exatamente o contrário do que seria o óbvio: alunos que tem condições pagam e alunos sem condições são bancados pelo governo.

    O que se vê é uma inversão de custeamento. Em termos proporcionais a renda, o pobre paga muito mais que o rico. Em termos de acesso, o pobre tem que ser muito acima da média pra competir com alunos medianos das classes sociais mais elevadas. E isso está completamente errado.

    Falando de benefícios pra sociedade, é muito mais vantajoso ter cidadãos com base fortalecida, senso crítico, bagagem cultural, capacidade de análise, etc. Isso diminuiria a maioria dos problemas sociais, como má administração pública, corrupção, violência, intolerância, desrespeito a regras, etc. Hoje a base não fornece essa formação, e o governo tenta “compensar” na universidade (o que não funciona).

    Ou seja, se pensarmos em sociedade e igualdade de acesso, a opção de univesidade pública e não-gratuita seria a melhor. O maior desafio seria lutar contra a classe alta, que é totalmente contra a não gratuidade do ensino superior e investimentos no ensino básico.

  44. Descordo totalmente do ponto de vista de vcs. Nada garante que privatizando o ensino superior o dinheiro seria revertido para benefícios para o ensino fundamental, o descaso com o ensino fundamental e estritamente culpa da ma gestão por parte do governo. Isso não acontece com as Universidades pq elas possuem autonomia até certo ponto para decidir como será gasto o dinheiro recebido por parte do governo ao contrario das escolas de ensino básico e médio que ficam inteiramente por conta do governo. Concordo sim que as Universidades deveriam trazer mais melhorias para as nossas vidas mas o tipo de profissional que sai da Universidade não é de inteira responsabilidade nem da Universidade nem do aluno, a muito tempo existe uma cadeia de produção de profissionais que dita como as coisas dever ser feitas, por isso temos tantas publicações dentro das universidades que não servem para nada pois o “bom universitário” é aquele que publica e não quele que tem ideias que possam inovar e melhorar algo. Isso não vai mudar caso as universidades sejam privatizadas. E vamos supor que o ensino básico melhore e que as Universidades sejam privatizadas, quem terá condições para pagar uma Universidade privada? Teremos alunos com boa formação básica mas que não podem arcar com os custos das universidades, e o governo não poderá ajudar a todos. Então as Universidades privadas seriam assim como as de hoje onde nem todos podem se sentar em uma cadeira e estudar, apenas um pequeno grupo ( e arrisco a dizer que será um grupo menor do que o que existe hoje dentro das universidades). E para vc Luiz Nobre que sitou o premio Nobel, fique sabendo que 2 dos ganhadores ( não me recordo os nomes) do premio Nobel e alguns outros após esses dois estão criticando e muito essa máfia que se formou em torno disso tudo. E digo máfia pois as grandes revistas de publicação estabelecem regras estupidas para o julgamento de publicações ( se vc for do meio acadêmico vc terá facilidade em entender), e assim muitos pesquisadores caem em descredito por fazerem pesquisar que fogem dessa linha de pensamento mas que nem por isso deixam de serem importantes. Trabalho com melhoramento genético de plantas na UFLA (Universidade Federal de Lavras) e uma das nossas metas é criar variedades de plantas melhoradas que possam auxiliar pequenos agricultores que tem dificuldades para acompanhar os autos preços das sementes em mercado. E assim fazemos há 30 anos. Claro que não podemos competir de igual para igual com as grandes multinacionais, mas fazemos o melhor, em um Brasil com Universidades privadas isso não existiria e no meu exemplo o pequeno fazendeiro seria eliminado rapidamente.
    Já existe a parte dos nossos impostos que é destinada para o ensino básico, se essa parte é mal administrada não faz nenhum sentido aumenta-la. E como todos vcs já sabem não é do interesse do governo criar uma base de cidadãos conscientes e preparados.

    • Um problema de cada vez meu querido, não dá pra organizar todas as peças de um quebra cabeças com um único movimento!

    • Parei de ler quando vi um “dEscordo”, “Sitou” e um belo “aUtos preços”.

      • Faça bom proveito da sua gramática deveras acertada, caro confrade.

      • Perdão pelo português Aline, eram 5:50 quando comecei a escrever, e já estava caindo de sono. Mas a ideia que queria passa r não foi comprometida por causa desses erros. Deixe seu ponto de vista sobre o assunto nos comentários, pq de português eu ja vi que vc entende. :)

  45. infelizmente o nosso pais e essa bagunca e provavelmente numca vai mudar por esse erro(basico, infantil, primario) nem sei oq falar algo tao simples vemos ocorrer nos paises de 1 mundo e aqui continua essa patifaria .A melhor opcao pra quem pode e mudar do fugir do brasil pais de Otarios..

  46. Poucos falam isso na imprensa, mas a USP virou um feudo de nobres sustentados pelo povo pobre e desdentado, num país onde nem saneamento básico ainda está avançado – pauta já resolvida nos séculos IXX e XX nos países desenvolvidos. O pobre cidadão que mofa 4 hora em ônibus lotado e trânsito caótico, que vê sua rua inundar de fezes a cada temporal ou acaba indo morar em um morro ou palafita por receber um salário miséria muito em parte por esse salário ter um custo altíssimo para o empregador despeja mais de mil reais/mês para sustentar uma elite que recebe altos salários (lembrem dos casos dos salários de 30 mil reais da USP divulgados recentemente) e pouco ou nada produzem. Pesquisem na internet o nível das teses de doutorado aprovadas nessas trincheiras do faz-de-conta e vejam o lixo que patrocinamos. Para ilustrar, peguem a “tese” que o atual ministro Aloízio Mercadante defendeu e foi aprovado na Unicamp coisa de 5 anos atrás. Aquilo é o lixo que aqui digo. Claro que há pesquisas sérias, mas é minoria e – justamente por causa da tal autonomia – não há quem possa cobrar nada. Uma EMBRAPA produz 100 vezes mais e custa 50% menos… A USP é um celeiro de esquerdismo bocó, assaltada por um sindicato que defende somente e apenas os privilégios dos que lá trabalham – e tem privilégio que não acaba mais – e para fechar com chave de ouro, todo ano ao menos 30 dias se perdem em greves políticas ou com pautas incabíveis e esses dias perdidos nunca são recuperados. É uma estrovenga caríssima para um país onde se morre de Dengue e Malária, de soterramento em morros que desabam ou em enchentes de esgoto. A agenda desse país de merda é essa: Fingir ser primeiro mundo sustentando uma minoria das minorias que realmente vivem com ideias e salários de primeiro mundo. Olhem lá no orçamento arregaçado da USP a quantidade de dinheiro gasto em museus que ninguém frequenta e 99,99% da população nunca colocará seus pés. Eles gastam pensando estarem na Sorbonne ou em Havard, com uma favela colada ao muro.

  47. Otário, quer ver uma crítica de verdade à universidade brasileira? então toma: https://www.youtube.com/watch?v=QJziflgyHdk

  48. Discordo completamente da privatizacao de escolas publicas. Acredito que deveria haver a reducao de escolas e universidades privadas na verdade, tornando o ensino público gratuito e acessivel a todos, além de reorganizar as despesas dessas instituicoes. A maioria dos custos deveriam ser voltados para a pesquisa e desenvolvimento de projetos e ideias nas universidades, que pela má distribuicao e péssimo gerenciamento acabam sendo deixados em segundo plano. Nao é porque a universidade é pública e voltada a poucos que os estudantes também nao têm despesas com a mesma, cito como exemplo o fato de ter muitos amigos e conhecidos (alunos e professores) que muitas vezes investem DO PROPRIO BOLSO na sua pesquisa e projeto e muitas vezes nao conseguem retorno algum, pois a verba acaba e o projeto é abandonado – quando nao demora anos para ser concluido, e no final já se tornou ultrapassado e sucateado.

    Muita gente olha os números absurdos de manutencao dessas instituicoes publicas e sequer pensam no retorno que ela gera (e no retorno ainda maior que DEVERIA ESTAR GERANDO) para a economia e tecnologia nacional – má administracao de custos e falta de re-aplicacao de recursos, fornecendo laboratórios ultrapassados e péssimo material para pesquisa e desenvolvimento de estudos.

    Isso sem considerar a cultura de estudo de TODAS as instituicoes nacionais, onde acreditam-se que apenas o curso superior é necessario para gerar um bom profissional – muitos acreditam que se atualizar é perda de ambos, tempo e recursos, e somente a graduacao é suficiente para formar um proficional capacitado para o mercado e também para a docencia, causando a reducao do nível nacional – um grandioso feedback negativo que impacta nas futuras geracoes.

    A meu ver, nao adiantaria de nada as universidades se tornarem privadas. A administracao continuaria sendo ridicula, se nao pior, visto que a universidade se tornaria um negocio mais lucrativo do que já é, o reinvestimento nas universidades seriam minusculos (mais dinheiro no bolso dos administradores, menor preocupacao com atualizacao dos laboratorios), o desenvolvimento de pesquisa continuaria sucateado por falta de ambos, investimento e profissionais capacitados para conduzir uma pesquisa digna de espaco na comunidade cientifica mundial. As poucas pesquisas nacionais que veem colhendo frutos atualmente sao reflexos de alguns acertos na administracao e do extremo esforco dos docentes e dicentes empenhados em buscar novos metodos de resolucao para velhos problemas conhecidos pela entidade cientifica – o famoso fazer mais (muito mais) com menos recursos – SALVO ALGUMAS EXCESSOES, antes que venham me contradizer por essas afirmacoes.

    A solucao? Melhor administracao de recursos, mudanca cultural na educacao, aumento do interesse do corpo dicente pela area cientifica e de pesquisa – necessaria pro desenvolvimento tecnologico nacional, por sua vez dos tao comentados premios Nobel que nao possuimos – além cobranca da parte docente para investimentos em laboratorios e tecnologias. Esses sao apenas ALGUNS pontos para se comecar a ver alguma mudanca de ambito nacional no quesito tecnologia e desenvolvimento educacional.

    E também proponho OUTRA MUDANCA: a mentalidade do cidadao de que estudante gera CUSTOS. O estudante sao os futuros empreendedores, cientistas, administradores, profissionais, (etc, etc.), necessários pra essa tao pedida mudanca nacional, e eles nao vao conseguir faze-la acontecer caso a propria populacao seja contra a sua educacao e desenvolvimento. Estudantes e universitarios sao INVESTIMENTOS. Educacao nao deve ser vista como custo, de maneira alguma! Ela deve ser incentivada!

    A boa educacao e boa cultura sao bases para um cidadao estável, saudavel e produtivo, que nao apenas conhece os seus direitos, mas também que nao precisa ser lembrado dos seus deveres para com a sociedade, e que vai ser responsavel por todas as mudancas necessarias para resolver essa crise, a comecar pela responsavel pela má cultura – a de CARATER.

    PS: O governo (ao ser instituido) tem como funcao BASICA fornecer e administrar nao só educacao, mas tambem saúde e seguranca – coisa que tem feito terrivelmente e foi deixada em segundo plano, servindo apenas de muletas em epoca eleitoral para conseguir votos – mas é o cidadao que é responsavel pelo controle de quem está no poder. O governo representa o povo simplesmente pelo fato de ser praticamente impossível gerenciar todo esse território, de maneira ordenada, sem uma equipe. Devemos relembrar nossos representantes o verdadeiro foco de seus oficios, mas isso só vem apos a nossa propria mudanca.

    PS2: Admiro muito sua iniciativa e a tempos venho acompanhando o desenvolvimento do seu trabalho, mas gostaria de que pensasse um pouco mais a respeito de suas publicacoes. Voce, por atingir um publico tao grande, é um forte promotor de opinioes, pense um pouco mais no impacto de suas proposicoes antes de publicar algo que promova a deseducacao do cidadao e, mesmo que sem querer, promova a raiva do leitor – devemos ser responsaveis por gerar a duvida do cidadao, fazendo-o se questionar a respeito do que acontece (como, e porque acontece) e nao simplesmente por inserir ideias oposicionistas ao que está em vigor no presente momento. Aquele que possui duvidas e busca respostas, encontra nao apenas a resposta, mas tambem novas perguntas a serem respondidas. Esse é o ciclo do conhecimento e da busca pela verdade, e nao deve ser simplesmente baseado em possiveis afirmacoes, use suas ideias para fazer o cidadao pensar por si só! Nao há apenas uma solucao ou o seu extremo oposto, muitas vezes a melhor solucao está nas entrelinhas =)

    • “ensino público gratuito e acessivel a todos”. Não existe nada gratuito. Você quer pagar a um político para ele pagar uma escola para você? Você confia mesmo em políticos e na eficiência deles hein. Alias mesmo você não sendo um estudante ou não tendo filhos, ficaria feliz em ter que pagar mais caro pela “acessibilidade” a escola que você não quer frequentar?

      • Desculpe, nao me expressei bem nessa parte: “ensino público gratuito e acessivel a todos” no quesito de nao ser necessario ter que desembolsar nada além do que ja contribuo em forma de impostos para adquirir materiais para estudo, pesquisa e desenvolvimento de trabalhos referentes a area de estudo, que é o que citei quando disse sobre estudantes e docentes desembolsando altas quantias para pesquisar e projetos que deveriam ser financiados com a verba destinada a universidade. Esse dinheiro existe e já é pago por todos, mas nao é acessível devido a outras “prioridades” da administracao.
        E quanto a sua ideia de “pagar por algo que nao se usa”, é uma coisa que voce tem que passar a ver de outra forma, como eu também disse (referente a mudanca de mentalidade e cultura): Quando o cidadao estuda e desenvolve uma pesquisa ou tecnologia, a sociedade em geral irá usufruir desse conhecimento que ele adquiriu, desenvolveu e transformou em algum produto ou servico – cobrando em retorno algo pelo trabalho oferecido (nao os precos e taxa abusivas que existem hoje, outra mudanca necessaria).
        Portanto, mesmo que eu nao seja frequentador direto da universidade, o financiamento da educacao teria impacto direto no meu dia-a-dia e na minha vida privada. O povo brasileiro (principalmente) seria muito mais evoluido se parasse de pensar o “nao se aplica a mim, nao preciso me preocupar” – basicamente tudo o que a sociedade é hoje está diretamente ligado a uma pesquisa ou estudo, só olhar em volta, tecnologias de fabricacao, admnistracao, eletronicos, saude e outras infinitas areas que nao consigo nem citar por falta de conhecimento! O estudo é algo que engrandece nao só o individuo, mas também o que a sociedade consegue produzir a partir do que se é estudado, novas descobertas se tornam a base para futuras pesquisas e a cada “degrau” subimos um pouco mais no quesito desenvolvimento (a discussao aqui seria: por que está mal estruturado como está?). Lamento se o cidadao do seu exemplo escolheu nao estudar, mas é uma coisa que eu pretendo fazer até os ultimos dias da minha vida pois sei o potencial de mudanca que a educacao tem, mesmo que nao seja em uma universidade (que é teoricamente onde a maior concentracao de conhecimento deveria estar, e acessivel a todos) e pretendo usar o que aprendi nao apenas para o meu bem-estar. =)

      • Esqueci de citar a respeito dos politicos. Como disse no primeiro comentario, eles sao meros administradores dos nosso recursos. O problema é que do modo que está simplesmente tomaram o poder de nossas maos e estao decidindo as coisas para beneficio proprio. Com a pequena mudanca de valores – se preocupar com o proximo, nao apenas consigo mesmo – acredito que ja seria um grande passo pra melhorar o sistema politico atual. Cabe apenas a cada individuo se conscientizar sobre isso =)
        Eu apenas comentei a respeito do que seria necessario…vai de cada um se tornar a propria mudanca em pessoa, mas ainda espero poder ver isso um dia, faco minha parte e cobro quem está em volta. Se voce se basear no método “piramide de negocios”, logo logo a coisa espalha….infelizmente com coisa boa nao funciona assim, nao é? Um dia a mudanca surte efeito e o cidadao entende o poder que tem, mudando tao pouco =)

  49. Acredito q só a privatização não resolve o problema… Devemos ir mais a fundo, leia, por exemplo, (pesquisem) uma matéria do mises.org sobre a “obrigatoriedade do diploma…” de 2009 e reflitam sobre, é muito interessante.

  50. Não Acredito que privatizar nossas universidades “públicas e gratuitas” vá adiantar alguma coisa. Falou muita merda nesse texto.

    • Pesquise sobre Kroton , aqui em MT é tudo dela e não existe mais concorrência, o ensino piorou e a mensalidade aumentou em todas as universidades que ela comprou, ops ela comprou todas !!

      • Kroton é uma porcaria, trabalho para ela, não há o mínimo de comprometimento com a qualificação dos Professores nem investimento em P&D. E esse texto ainda me fala em privatizar. É muito mal informado.

  51. O engraçado é que os alunos das públicas, pelo menos aqui na Paraíba, são em geral bem melhores do que os das particulares… Acho que aqui não cabe o argumento de ”gastar do próprio bolso”. Não sei em São Paulo aplica-se o que estou dizendo, mas minha experiência mostra o contrário do que você falou.

  52. Vocês estão loucos? Privatizar as universidades? Ai que só faria era Rico mesmo! As bolsas seriam pouquíssimas, e tenho plena certeza que iria ter muito rico se passando por pobre, assim como tem hoje no PROUNI. Tenho certeza de que se pensarmos, existirá forma mais adequada. A começar pela própria pesquisa. Muita coisa no Brasil existe, mas não funciona. É só fazer funcionar.

    • A questão toda é a ineficiência. É muita gente pobre pagado muito caro para alguns poucos ricos estudarem em universidades privadas. Certamente tem algumas fraudes em prouni, mas dá mais chance a quem é pobre entrar. E ainda vai baratear o custo para os pagadores de impostos.

  53. Olá otários como eu….., eu trabalho numa universidade federal. Se vocês soubessem o quanto se gasta com pesquisa. Algumas delas emitem famosos “artigos podres”. No entanto sou averso a privatizações no Brasil atual (as telefonias lixo corroboram minha opinião) porém concordo que as universidades gastam muito. Mas gastam com pesquisa demais e a graduação fica prejudicada. Pra finalizar deixo um pensamento norte-americano sobre o tema: “Se o senhor acredita que educação é cara, tente ignorância.”

  54. Concordo plenamente. Fiz minha primeira graduação na UFRJ e, da minha turma, era um dos poucos que tinha que pegar ônibus pro fundão. Maior parte ia de carro e alguns com carro muito legal mesmo. Muita gente lá não precisa de universidade gratuita. Eu era dos poucos que realmente precisava, mas isso é fácil resolver com um prouni ou fies da vida. Minha segunda graduação fiz na Estácio de Sá e fiquei surpreendido. Os professores são muito bons, embora muito mais ligados ao mercado que a área acadêmica, mas impressiona principalmente o profissionalismo. Professores não faltam. Professores não dão aula de 15 minutos e fala pra ler o livro o resto do tempo (tive vários na UFRJ). O ar condicionado sempre funciona (UFRJ tem alguns ventiladores que funcionam). Os banheiros são limpos (já tive que andar meio campus pra achar um banheiro funcionando na UFRJ). Nem vou falar do atendimento na secretaria porque aí é piada. Bom, tive alguns bons professores, com alto grau de profissionalismo na UFRJ também, é verdade, mas acho que o sistema está errado hoje. Estado não resolve nada. Só cria problemas diferentes e mais difíceis de resolver.

  55. Uma dúvida: Quem me garante que essa suposta economia vai retornar para o povo na forma de redução de impostos?
    Acredito que vai acontecer algo parecido com o caso do IPVA.
    Esse imposto foi criado para que não fosse necessário pedagiar as rodovias.
    Atualmente, as rodovias estão pedagiadas (e cobrando valores abusivos) e o imposto ainda existe.
    Penso que, se as universidades forem privatizadas, elas se tornarão ainda mais “seletivas”, enquanto nós continuaremos pagando a conta.
    Sobre usufruir desse bem público, tudo que precisei fazer foi um vestibular. Nada muito difícil (pra quem estuda, claro). É óbvio que não é somente sentar em uma cadeira e se formar, mas também não é tão difícil assim ser universitário. O que acontece é que muitas pessoas simplesmente não querem ensino superior. Na verdade, nem o ensino fundamental elas querem completar. Vão para escola apenas porque o conselho tutelar obriga. Não fosse isso, estariam em casa sugando os pais e dormindo até tarde.
    Se as universidades de seu município não estão dando o retorno esperado, reclame com eles. Acha que privatizar vai fazer eles mudarem esse paradigma?

  56. É o fim das faculdades privadas.

    Eu votei no Pastor Everaldo 20.
    Foi o candidato que mais chegou perto da direita (liberdade de expressão, menos impostos, mais liberdade).

    Vocês votaram em comunistas (PT, PSOL, PSDB, PMDB), pois lavo as minhas mãos. Minha parte eu fiz.

  57. Já que você citou a USP, posso falar com conhecimento de causa. A carga horária de um professor titular com dedicação exclusiva na USP é 40 horas semanais. Dessas 40 horas semanais, os professores precisam apenas(na maioria dos casos) dedicar 12 horas semanais ANUAIS para dar aula para os alunos(o que dá um total de 6 horas semanais por semestre, aproximadamente 20% do trabalho dele). Ou seja, na faculdade o que mais temos hoje em dia são pesquisadores, e não professores. Um parcela considerável deles só da aula para cumprir tabela.

  58. Até agora não tinha 1 publicação nesse blog que eu descordasse, porém nem tudo é flores.
    O texto é tendêncioso, para começo de conversar, ela simplesmente diz que o retorno em pesquisa não é satisfatório em relação ao valor investido. E que a população não usufrui do que paga.
    Não existe nenhuma maneira de se ter um país deselvolvido se você importa tecnologia para tudo, tecnologia, é um fator chave e não há como negar. Muito se fala que as pesquisas não viram retorno para a população, apesar disse ser verdade, isso não quer dizer que a pesquisas feitas nao virem nada…uma mentira pura, muito da pesquisa feita no Brasil vira mercado sim, mercado extrangeiro. Temos uma política economica que é UM ABSURDO DE BUROCRÁTICA, qualquer pesquisa feita aqui, vê muitos impecílios para gerar riqueza em solo brasileiro, dessa forma procura-se mercados mais propícios para desenvolver a atividade. Empresas nacionais não conseguem se aproximar das universidades, não conseguem dialogar livremente com os pesquisadores não existe uma troca de interesses mutuamente benéfica.
    Outro ponto que o texto levanta, é que a população nao usufrui da estrutura, o que também é uma lorota SEM TAMANHO, faço parte da comunidade da USP- São Carlos, além de vários programas sociais, como Pequeno Cidadão, onde crianças tem aulas, comida e lazer todos os dias no campus, existe um cursinho comunitário, existe aulas de esportes, bandas de músicas, amostras de cinema, aulas abertas, observatório todas as noites, campos e quadras, acesso livre a tudo isso por parte da população. Sem falar que se a população fosse mesmo interessada, ela poderia estar em contato com estudantes e doutores da area de interesse, e podriamos ter uma população que buscasse a auto-educação, utilizar desse ambiente para solucionar seus problemas. MAS NÂO a população quer que algum pesquisador que suou sozinho, quase sem ajuda do governo, que INVENTE UMA CAIXA MÁGICA QUE FABRIQUE DINHEIRO PRA TUDO MUNDO!!
    Se privatizarmos as universidades, sabe qual seria o resultado para a população?
    ZERO DE PESQUISA CIENTIFICA PUBLICA! ZERO DE AVANÇO tecnologico brasileiro!!
    Sabe aquela empresa grande?? Então só ela vai ter dominio das tecnicas, das tecnologias.
    Sabe aquela empresa pequena, interessada em crescer?? Ela vai falir, nunca vai ter como competir com empresas que bancam pesquisa. Sabe aquele setor que explora seu país, ele vai pagar pesquisa! Sabe aquele setor que precisaria pesquisar, como saúde, educação, defesa…….não vai existir pesquisa.
    Quer criticar as universidades, critique, mas discuta mais amplamente seus problemas…..leve em consideração a falta de verba sim, a burocracia, o numero reduzido de funcionários, de professores, a crescente queda da qualidade dos alunos que ingressam por causa de cotas e sistemas facilitadores, etc.

  59. Vendo os valores, tipo R$ 0,70 por dia, nem parece grande coisa para o povão pagar para os filhos dos ricos estudarem de graça e gastarem o que gastariam em estudo em viagens à Europa nas férias.

    Os ricos sempre dão um jeito de serem financiados pela sociedade.

  60. E porque não investir na Educação Básica?? Seria um começo ( e não a solução) para a popularização do ensino superior?

    Porque não propor uma lei, em que os dependentes diretos dos governantes (alem dos próprios governantes) usufruam exclusivamente de serviços públicos que são considerados essências, como educação e saúde? Então você acha correto o filho de um politico, que é pago com dinheiro PUBLICO, estude em uma instituição PRIVADA? Quer dizer que EU, VOCE e TODOS estamos bancando o Intercambio do cara na Europa?

    Cara, sou formado em universidade pública, RALEI PRA C****** pra entrar e me formar, afinal tive que estudar e trabalhar pra conseguir me manter. Alias trabalho com muita gente formada em universidade Privada e a diferença é Gritante!!!!

    A realidade é uma: NÃO TEM PRA TODO MUNDO… (o que é uma pena), mas acho que privatizar não é a solução…

    suponhamos que privatizem td…SURGEM ALGUMAS PERGUNTAS?

    O QUE O GOVERNO FARIA COM O DINHEIRO QUE SERIA INVESTIDO?

    A QUEM A UNIVERSIDADE SERIA SUBORDINADA?

    COMO VIRIA A VERBA PRA PESQUISA? E COMO ESSE DINHEIRO SERIA DIVIDIDO?

    E A MAIS IMPORTANTE: E OS POBRES??? TERIAM CONDIÇÕES DE ESTUDAR NESSE SEU MODELO PROPOSTO?

    Nada pessoal, só espero que entenda meu ponto de vista!

    Abrass

    • 1- Com o dinheiro que seria economizado dava pra fazer muita coisa. Desde executar a sugestão do autor do artigo, de investir no ensino fundamental, ou até mesmo custear ainda mais bolsas de estudo em escolas particulares, aumentando a população universitária.

      2- A Universidade seria subordinada as leis e regulações brasileiras para o ensino, como são as demais instituições, a diferença é que a gestão privada iria ter como foco o lucro, o que traria mais eficiencia nos processos.

      3- O que mais tem são empresas doidas pra investir em pesquisa. Nos Estados Unidos, grupos privados financiam projetos e ex-alunos formam fundos de investimentos em suas respectivas ex-universidades. Como o professor Rógerio Cezar explicou, a pesquisa bancada com recursos públicos vem sendo um disperdício monumental aos pagadores de impostos.

      4- Os pobres receberiam um VOUCHER, que nada mais é que um subsídio nos custos das mensalidades. A porcentagem desse subsídio iria variar pelo mérito do aluno nos processos seletivos de ingresso na determinada faculdade. Além do mais, hoje vemos muitas universidades darem bolsas parciais ou integrais a alunos esforçados. Há também várias ações filantrópicas privadas que desempenhariam papéis importantes na ajuda de custo aos estudantes pobres (como o Projeto Educações, aqui no Amazonas). Além disso, devido ao maior número de alunos e a concorrência, as mensalidades tenderiam a cair, assim beneficiando ainda mais as classes mais pobres.

      Espero que tenha ajudado em suas duvidas, valeu.

      • 1- Muito bonito na prática. Mas sabe-se muito bem para onde o governo leva o dinheiro das privatizações. E não é só o atual… Seria lindo isso, se o governo realmente investisse o dinheiro, mas não o faz. Eu, pelo menos, não vi até agora o dinheiro da privatização da Ponte Rio-Niterói em lugar algum.

        2- Novamente algo que é bonito na teoria e não funciona na prática. Existem inúmeras universidades privadas, muitas delas são uma bosta e não tem compromisso com ensino, mas sim com diploma. A qualidade de um corpo técnico formado sob essas condições é precária. Privatizar não mudaria isso, muito pelo contrário, só iria expandir pras universidades contempladas.

        3- Aí eu concordo com vc. Investimento privado em pesquisas é fundamental. Principalmente pq quando se desenvolve um produto, a demanda por resultados é muito maior. Mas nem sempre é assim. Não é toda pesquisa/área que pode ter como fim um produto, como exemplo as áreas mais conceituais. Estudar a origem da vida não traria nenhum produto de imediato. Mas, como ciência, é algo necessária para se entender o que acontece hoje. Portanto, a injeção de capital privado como apoio financeiro é necessária, mas com cautela.

        4- Mais uma coisa que teoricamente é bonita, mas que dada a situação do Brasil (até onde me lembro, boa parte das empresas das quais dependem alguns serviços básicos que contrato, cagam toneladas pra mim e pra todos os outros consumidores) não funcionaria. E o sujeito que tem déficit de atenção e é pobre? Não vai conseguir o “mérito” na escola pra ter uma bolsa. E o camaradinha que tem que trabalhar pra ajudar na casa? Não tem tempo de estudar e é limado também. Esses e muitos outros casos são esquecidos, e por isso prejudicados, inclusive pelo atual sistema.

        Ensino fundamental de qualidade, atrelado à ensino técnico é a primeira solução para os problemas da educação. Posteriormente, vem o investimento no ensino superior.

        • O fato de que o governo vai desviar o dinheiro arrecadado com as privatizações não é um argumento contra ela. Ora, ai já é uma questão do povo de fiscalizar esses recursos ora. Se o povo deixou o FHC enfiar o dinheiro das privatizações em uma conta num paraíso fiscal, ai é outra história e não anula o fato de que os serviços privatizados melhoraram bastante

        • Muito interessantes os textos, Arthur.
          Bons pra refletir. Principalmente o segundo.
          O problema é que no caso do bombeiro, por exemplo, é uma prática ilegal e anti-ética.
          Se você tem algo que é vendido por tal preço, comprá-lo na frente de outra pessoa e revendê-lo por um preço maior não é algo muito bacana. Vc estaria tirando a chance de alguém pagar menos em prol do seu próprio lucro. Mesmo que isso reflita que os ingressos estejam com preço desregulado.

          O mesmo não ocorre com as universidades. Se você for fazer, por exemplo, Sistemas de Informação numa PUC (pego referência da mensalidade no ano de 2012), vc iria desembolsar mensalmente algo em torno de uns R$3mil e isso por um ensino de qualidade, por acesso à laboratórios de ponta, dentre uma série de outros benefícios. Esses que não são obtidos no ensino à distância (EAD), que sairia em média por uns R$600 (Preço da Estácio de Sá no mesmo período), muito embora este tenha, na flexibilidade de horários, seu maior benefício.

          O problema todo é que educação e ciência não deveriam ser tratadas como bem econômico e de consumo. Principalmente pq com a qualificação da população você tem um avanço significativo na própria economia, pois terá profissionais qualificados. O acesso à educação deve ser livre à qualquer um. E a privatização, à curto prazo (sem os subsídios do governo aos estudantes carentes), limaria boa parte da população que REALMENTE não pode pagar.

          Outro problema que vejo é que por mais que a qualidade do ensino em IES’s privadas tenha aumentado, e digo isso pois já estudei em uma, os investimentos que se deve fazer para que tenham condições de competir com as “públicas” são exorbitantes.

          No âmbito da fiscalização dos gastos, eu concordo plenamente com vc, meu caro. Acho que nossa obrigação maior como população não é reclamar à esmo somente (embora seja também uma delas), mas também fiscalizar o que fazem com o dinheiro!

  61. ????? Acompanho o Otário desde o início, mas pela 1ª vez irei discordar. Concordo com o Leandro Vinhas. O tema dessa vez foi infeliz. Ai do Brasil quando acabarem as universidades públicas. Ainda é delas que se formam os melhores profissionais do país em praticamente todas as áreas. Especialmente as áreas extremamente tecnológicas – em que a iniciativa privada nunca investirá se não tiver lucro imediato. Realmente não é para qualquer um, o privilégio de passar por mérito (e não por raça, deficiência física ou outras discriminações) no ITA, na USP, Unifesp, São Carlos, UFMG, UFRJ; é tarefa para quem estudou pra karaleo e é muito bom – seja proveniente de ensino secundário público ou privado. Há muitos anos passei numa federal e só podia fazer nela – nem pensar em fazer um curso top em faculdade particular (e a particular até hoje é considerada inferior à federal que fiz). Vim de escola pública – tentei quatro vezes e na penúltima vez passaria em qualquer curso exceto o que escolhi. Na última passei com folga. Dormia com livros e apostilas que caíam na minha cara quando o sono vencia (e às vezes voltava a estudar na madrugada depois de dormir poucas horas), enquanto irmãos e amigos iam pras festas. Pra quem vem de pública é mais difícil. Mas ninguém quer se esforçar. Aí é fácil falar que qualquer um pode entrar numa usp ou ita. Não pode. E se não produzem artigos científicos em grande quantidade é porque estão sendo sucateados. As particulares não produzem nada (ou quase) de científico e quando o fazem é só pra ingles ver, não tem utilidade. Grandes pesquisadores da física, matemática, engenharia, bioquímica, medicina e outras… Ou de onde vcs acham que saíram César Lattes (físico), João Gurgel e Fernando Lobo Carneiro (engenheiros), Câmara Cascudo (antropólogo), Carlos Chagas, e Vital Brazil (epidemiologistas/parasitologistas), Adib Jatene (cirurgia cardíaca), e centenas de outros. Muitos brasileiros foram reconhecidos lá fora, pq aqui não se dá valor; e ainda vai piorar.
    Quantos vieram de universidades públicas? Todos (?) e particulares? (Nenhum que eu conheça). As universidades públicas tem que ser melhoradas e devem se aproximar da população – ser mais produtivas para a comunidade que a mantém.

  62. O Brasil é um anão da ciência e da tecnologia, nossos pesquisadores de elite tem que sair do país para terem centros de pesquisas de qualidade. A Europa em cada experimento do LHC gasta mais de 2 bilhões de euros, e é à toa? Enquanto a universidade particular forma gente para trabalhar em empresas, as universidades públicas são as que realmente exercem o papel social da universidade, de expandir o conhecimento. Entregar nossas universidades federais para serem administradas por empresários é o mesmo de falar para a universidade que o foco dela não é mais expandir, criar e difundir o conhecimento, mas sim de gerar lucro. Concordo que nossas universidades federais precisem de se democratizar mais, mas a privatização só vai piorar a qualidade das universidades. A universidade pública é publica sim, mas é meritocrática, qualquer um que estude para valer pelo interesse próprio pode passar na USP ou Unicamp desde que estude o suficiente, ainda que haja uma concorrência enorme pela vaga

  63. Péssima ideia otário

    1° – Do jeito que tá,mesmo privatizando,os impostos não baixariam

    2° – As Universidades já particulares iriam aumentar seus preços pra lucrar mais

    3° – As pessoas que já são pobres,e mesmo deixando de pagar estes impostos,continuariam pobres,ficaria impossível para terem um acesso a uma universidade,por mais que tivessem força de vontade.

    4° – As Universidades ficariam exclusivamente para os ricos

    5° – Algumas Universidades quebrariam,devido a enorme concorrência

    O ideal é investir no Ensino Fundamental,depois Médio,depois no superior…em menos de 20 anos poderíamos ter uma educação de altíssima qualidade

    • Vou discutir tópico a tópico com vc.

      1º – De onde você tirou que os impostos não baixariam? Não fez nenhum cálculo pra demonstrar isso, por exemplo, se fossem privatizados somente essas 4 universidades, seriam economizados 12 bi, em cima da arrecadação de cerca de 290 bi dá 4,2% a menos de impostos. Isso é, somente essas 4 universidades. (Lembrando que São Paulo é um estado pagador de impostos, não recebe os repasses do governo federal, ou seja, o buraco é mais embaixo).
      2º – Talvez sim, os cursos melhores das universidades mais procuradas iriam aumentar o valor da mensalidade. Mas quem disse que isso é exclusivamente ruim? Existem muitos alunos que podem pagar muito por universidades boas, mas estão cursando universidades públicas ocupando a vaga de quem não pode pagar (Na verdade a universidade pública é cheia desses alunos, no caso da USP, são 60%). A ida desses alunos para outras universidades aumentaria o investimento delas e assim melhoraria sua qualidade.
      3º – E se em vez de abrir mão desses impostos o governo ampliasse o número de bolsas em universidades particulares? Vouchers de educação, foi assim que a PUC do Chile assumiu o primeiro lugar na lista de melhores da América Latina e ainda manteve os alunos menos favorecidos, sem greves, com um gasto por aluno inferior ao da USP e ainda pagando os impostos.
      4º – Você apenas repetiu o que disse no 3º.
      5º – As universidades particulares já tem que concorrer com as públicas, não teria aumento da concorrência, pelo contrário, a tendência seria uma melhora no quadro geral, já que todas seriam particulares e não teriam que concorrer deslealmente, afinal o gasto por aluno das públicas é muito superior ao gasto por aluno das particulares.

      • Concordo plenamente Plínio!
        Exatamente pela formação socialista doente que temos em nossas escolas, geral não consegue entender o benefício da concorrência e livre iniciativa!

      • Caro,
        1- Eu ainda não vi dinheiro que o governo deixa de gastar sendo revertido DIRETAMENTE para algo proveitoso para a população.
        Fora o que, o fato de o governo deixar de gastar, não significa que os impostos cairiam de imediato ou se que o iriam algum dia.

        2- Não vou entrar em números. Mas imagina o esforço pra uma universidade privada se equiparar a uma USP, ou mesmo a uma PUC? As pessoas vão para universidades públicas pq teoricamente são melhores (o que acho errado). Acabam se esforçando mais, tendo mais contato com oportunidades de trabalho e aprendizado que não teriam em universidades privadas (em boa parte delas). Mesmo tendo sido privatizada, os alunos mais ricos iriam continuar indo pra elas. Pela “tradição”. Até pq, o gasto que um aluno tem em uma universidade pública chega a ser maior do que em uma privada. As pessoas continuariam indo pra “públicas”…

        3- Aí eu concordo com vc!

        5- Eu duvido que fosse ocorrer isso. Primeiro pq se elas já competem e boa parte delas não se coça pra melhorar, não haveria motivos para fazê-lo com a privatização das públicas. Algumas universidades privadas assumem um compromisso muito legal de melhoramento (posso citar algumas que já conheci, como a Estácio de Sá, INFNET e Veiga de Almeida; todas no RJ). Mas isso mesmo assim, não é um padrão isso, e mesmo assim, demanda muito dinheiro e tempo, fora um corpo docente compromissado e bom! A concorrência é benéfica na teoria, mas na prática não vejo rolando tão bem assim. Veja as empresas de telefonia. Existe concorrência, mas mesmo assim são líderes em rankings de reclamação do PROCON. Acho que não seria diferente com as universidades.

  64. é por isso que ninguém quer estudar em universidades americanas… pq não são publicas..

    • É piada isso, né?!

      • Ai OTARIO de acordo com voçe entao pq nao privatizamos todas as escolas medio e fundamental , imagina ai quanto que estariamos economizando…
        aqui OTARIO…
        NÃO F*** P****…

        • talis, depois desse seu “voçe” estou mais confiante q a melhor coisa é privatizar mesmo… kkkkk NÃO f*** p*%@#… kkkkkkkk que escola VOÇE estudou?

  65. Fábio Henrique Ribeiro

    Quem disse que faculdade particular é coisa de rico?

    Eu penso o contrário, a não ser que você resida em uma cidade com uma instituição federal ela sairá mais cara, como as particulares estão por todo canto fica mais fácil estudar nelas, ainda mais agora com os programas governamentais, PROUNI, FIES, PRONATEC e bolsas da própria instituição. Todos esses programas contemplam bons alunos, uma outra realidade é que na grande maioria dos casos alunos de faculdades públicos quase nunca são de classe baixa, a grande maioria vem da média ou alta sociedade, por que nessas regiões econômicas existe investimento na educação ou pelo menos grande incentivo da parte dos pais.

    E quem disse que faculdade privada é ruim e não produz nada? Certamente com um pensamento desse vemos que as universidades públicas também formam pessoas com um pensamento alienado e enraizado em culturas pré-estabelecidas. Harvard não é pública, Oxford também não, a faculdade em que Albert Einstein se formou também não, eu pago duas faculdades a minha que diga se de passagem não é barata e provavelmente a de algum cara que é de família mais rica que a minha, e mesmo que fosse mais pobre eu também sou de família simples e não posso ajudar alguém antes de ajudar a mim mesmo!

    Eu tenho bolsa da instituição e FIES, tenho grande incentivo a pesquisa e sou bolsista da instituição, dentro da área de mais tradição da faculdade que é telecomunicações temos o maior profissional do “b”rasil e com certeza um dos maiores do mundo. Quando eu fui aprovado em uma instituição pública por puro mérito, já que minha educação fundamental e básica foram fraquíssimas, a universidade pública não pode fazer nada para me ajudar a custear os meus estudos e sequer se importou se eu superei as dificuldades ou não, diferentemente dos modelos norte americanos e europeus que sempre analisam a trajetória do aluno, na minha instituição tive todo suporte necessário. Estou contente aqui me sinto realizado e valorizado, concordo 100% com o autor!

    Não revisei o texto então peço perdão por eventuais erros de português!

    • Não entendi qual o seu ponto, se vamos privatizar por conta de gastos públicos com ensino superior, qual a lógica de pagar faculdade particular com dinheiro público ? (prouni, fies, pronatec, etc…) além disso, só a USP e UNICAMP geram quase metade de toda pesquisa científica do país, o que é um retorno que não entrou nessa conta do texto.
      Acho que foi muito superficial a análise, a discussão é válida, mas essa solução mágica parece precipitada.

      • Ari, conforme está escrito no texto, a pesquisa brasileira só produz lixo.

        Aliás, os melhores pesquisadores brasileiros (com raríssimas exceções) estão bem longe do Brasil, estudando em universidades particulares nos EUA e Europa (e com bolsas de estudo) ;-)

        • Otario nao fale bos ta passe primeiro em uma universidade federal e depois veja oqe e descoberto em pesquisas la..
          E por causa de pessoas como vc que o pais esta como esta..
          OTARIO e um lixo

    • De onde você tirou que Oxford é privada?
      Oxford é pública…
      Faça uma favor a humanidade: vá estudar!

  66. com um custo de 4.528 por mês, quem iria fazer qualquer licenciatura(curso de 4 a 5 anos) sabendo-se que o piso nacional do professor é de R$ 1.917,78 para 40 horas semanais? Além disso, boa parcela de sistemas livres são criados nessas universidades.

  67. Sempre defendi isso!
    Não vou nem entrar no mérito do salário/produtividade dos professores com “tempo de casa”…
    Vou apenas dizer que, a iniciativa privada não investe em pesquisa pq o governo faz por ela (através das universidades “públicas”)! Pq o governo protege as empresas da concorrência internacional (protecionismo)! Quando os empresários precisam, eles investem!

  68. Sou servidor de instituição federal de ensino e superficialmente concordo com o texto, mas o texto não leva em consideração o outro papel das Universidades Públicas, a pesquisa. Não é apenas ensino, fosse apenas ensino sem dúvida existem maneiras de gastar menos para formação de mão de obra, mas não teríamos pesquisas, cabeças pensantes apenas profissionais especializados, é o que chamamos de robôs… Sabemos que as instituições privadas não tem interesse em pesquisa… pois não tem o retorno financeiro imediato que eles almejam afinal estas instituições antes de tudo são empresas… Então sugiro um aprofundamento do assunto por parte do editor…

    • Levou em consideração sim, leia TODO o texto e verá que foi comentado sim, até comentou-se que mais se produz lixo que resultados bons.

    • Se instituições particulares não dessem valor às pesquisas, as universidades norte americanas seriam as piores do mundo. Porém, o que vemos atualmente é a supremacia das universidades norte americanas em virtualmente qualquer ranking das melhores instituições de ensino do mundo. Enquanto isto, no Brasil, não estamos sequer entre os 100 melhores de nada (muito menos de pesquisa).

  69. Poderiam privatizar e ter bolsa para todos que tivessem comprovante de baixa renda, excelência no ensino médio/fundamental ou futuros atletas olímpicos.

  70. Eu sou a favor! Totalmente. Além de privatizar a CEF, Banco do Brasil, Petrobras, Embrapa, entre outras.

  71. Fábio Henrique Ribeiro

    Fico impressionado com a hipocrisia brasileira, o autor nos deu números e pontos de vista totalmente esclarecedores a respeito da educação de nível superior pública do País!
    Apesar de ler um artigo desses ainda existem pessoas que querem contestar!

    Vou responder a alguns comentários:

    Lucas Ramos: Quem é que não quer estudar em universidades americanas? Os caras tem mais de 300 prêmios Nobel, só você que não quer.
    Pra quem não conhece o sistema de ensino americano, eles dão o que o pessoal chama aqui (e eu totalmente desconhecia a palavra) de VOUCHER para alunos carentes e que merecem.

    Celso e outros que falaram sobre Mérito: Só no seu planeta que faculdade pública é meritocrática, um aluno de escola pública concorrer com alunos que vieram das melhores escolas de ensino fundamental e médio do país é o mesmo que disputar uma corrida com um carro de fórmula um usando uma bicicleta.
    Em HARVARD para se ter uma ideia, durante o processo de seleção é levado em conta a escolaridade dos pais do candidato.
    Eles entendem que o filho de duas pessoas que não concluíram o ensino fundamental ou médio na IMENSA MAIORIA DOS CASOS não estudaram em excelentes escolas e nem tiveram o melhor incentivo aos estudos, por isso nesses casos um aluno de média 70 e despontando em algumas matérias de sua preferência é considerado gênio, e assim deve ser mesmo, uma pessoa que estuda por conta SEM INCENTIVO MERECE!
    Isso que as faculdades públicas brasileiras fazem, principalmente as do exército ITA e IME é ELITIZAR o ensino e não torná-lo acessível a quem MERECE!
    Não venham me dizer que um aluno pobre do interior que fez supletivo e passou no ITA, esse caso é uma raridade se você quiser se basear nas exceções boa sorte! Talvez nem precise de um diploma pra criar o computador do futuro!

    Celso e todos que possuem a mesma filosofia que ele sobre:

    “Ai do Brasil quando acabarem as universidades públicas. Ainda é delas que se formam os melhores profissionais do país em praticamente todas as áreas. Especialmente as áreas extremamente tecnológicas – em que a iniciativa privada nunca investirá se não tiver lucro imediato.”

    Esse é o tipo de pensamento que eu nunca queria ter lido na minha vida!
    Quer dizer que eu sou inferior a quem se forma em uma universidade pública?
    E o fator humano? E minha força de vontade? E minha instituição que você nem conhece?
    Detalhe, todos somos instituições, muitas vezes medidas por nossa credibilidade.
    E o que nos credibiliza a dizer algo ou disseminar um pensamento?
    Provavelmente nosso nível cultural, acadêmico e nossa experiência de vida.
    Por isso eu penso que você está completamente errado e se você estivesse estudando telecomunicações no IME, muito provavelmente perderia uma vaga de emprego pra alunos que fazem o mesmo curso na minha instituição que é PARTICULAR, mas vamos a uma pessoa com muito mais credibilidade do que eu, um jornalista da globo e o maior consultor de carreiras do brasil, esse cara disse que na grande maioria dos casos os profissionais de destaque de uma empresa vem de faculdades sem grandes nomes, é isso mesmo, não é particular não, por que particular tem muitas que são ótimas em ensino, são de particulares não tão boas ou de públicas ruins (éééééé, isso também existe), isso por que esses profissionais muitas vezes agarraram a oportunidade que tiveram de estudar e compensam o déficit na educação com muito suor no trabalho e isso uma empresa admira!

    Em fim as idéias do autor são fantásticas, lindas e incontestáveis, as faculdades públicas formam grandes profissionais assim como as particulares.

    Existem boas escolas públicas e boas particulares assim como o contrário, a questão do ensino ser bom ou não independe de a faculdade ser pública ou privada e depende única e exclusivamente de fiscalização e políticas de incentivo a educação.

    E para finalizar eu adoraria ver o desempenho de bons alunos como os da UFRJ (uma faculdade sucateada) em instituição particulares com estrutura muito superior como PUC, MACKENZIE, INATEL e outras, eu acho que com maior apoio eles seriam ainda melhores, ou seja não é o nome da faculdade que os tornam bons e sim eles mesmos!

    O brasil não vai deixar de ter bons profissionais se as escolas públicas acabarem, o cérebro deles não depende das palavras PÚBLICO e PRIVADO.

  72. Se fosse meramente “privatizado”, os políticos comprariam as universidades, para fazer o pé de meia, além de empregar todos os parentes na diretoria.
    Educação é apenas um tipo de serviço prestado.
    Precisamos de DESREGULAMENTAÇÃO, a liberdade de qualquer um criar sua própria Universidade.
    Precisamos do fechamento do MEC.
    Olhe para a informática:
    Para os cursos de certificação Cisco, certificação Linux, e etc.,,
    Qual é a regulação estatal sobre eles?
    Nenhuma! O mercado as regula!
    E eu lhe garanto, que os indivíduos que possuem tais certificações, naquela área são melhores que a 99% dos alunos que saem formados em informática das Federais.
    Imagine um curso de Medicina certificado pelo Hospital Sírio-Libanês! Hoje temos alunos de medicina estudando “sociologia” por que o MEC mandou ter na carga horária.
    O mercado DEMONSTRA que cursos técnicos super específicos (certificações) são melhores que “cursos genéricos” e longos, como as Universidades, que veem da idade média.
    E ainda, todo este sistema de educação estatal começou na Prússia, e seu objetivo é principal não é ensinar, mas DOUTRINAR a população para servir o Estado.
    Este sistema não deve ser reformado, deve ser destruído.
    Livre Mercado Já!

  73. Só para lembrar todos aqui nos coments, nem todos os artigos são do Otário leiam no final o nome do dono do artigo, e eu tbm discordo do colunista sobre a privatização de faculdades, eu estudo na Fatec Sorocaba (Estadual) e não tenho do que reclamar da minha Faculdade, o que eu acho ruim dela e o excesso de burocratização, eu fazia parte do DA e pude perceber isso, ficamos sabendo que a alguns anos que havia uma empresa da região interessada em doar ferramentas de usinagem e tornos para a nossa faculdade, porem a diretoria tinha que esperar a autorização do Centro Paula Souza para receber a entrega, e essa respostas demorou mais de um ano, resultado, perdemos a doação. Eu vejo muitos discutirem sobre o Publico e o Privado, qual deles seria melhor? Para mim o sucesso de uma faculdade, empresa ou qualquer instituição não depende se ela for publica ou privada, mas sim dos seus gestores, depende deles serem Eficientes, Capazes e Honestos. O mesmo vale para políticos.

  74. Acho que vc deveria trocar o saco por uma coxinha! só acho… e nem preciso de comentários mais producentes, já tem vários aqui bem escritos….

  75. Otário, se você continuar assim eu vou acabar parando de te acompanhar. Eu gostava do seu canal porque ele mostrava uma certa imparcialidade, mesmo que o o site e o canal em si não se encaixa nisso. Agora está passando dos limites.

    • Campeão, 2 dicas:

      1° – isto aqui é um canal de opinião, portanto, se está procurando imparcialidade, está no local errado!

      2° – se quer ouvir opiniões iguais a sua, então não precisa acompanhar ninguém, basta colocar um espelho na sua frente e sair falando o que bem entender (assim, vc nunca será contrariado)

      • o otario realmente ta ficando uma merda…esse cara realmente nao sabe oque ta falando …nao sei nem mais o porquê dele usar essa sacola de pao..OTARIO vai por mim pode tirar essa sua sacola que nem uma empresa vai meche com vc mais nao…So me responda uma coisa voçe tem ensino superior… e se tiver em qual faculdade vc fez..

  76. A educação deve ser para todos, e não só para aqueles que podem pagar!

  77. Fábio Henrique Ribeiro

    Exatamente Lucas Leal você disse tudo com a seguinte frase:

    A educação deve ser pra todos!

    Por isso que pedimos a privatização das Universidades Públicas!

    Você que chegar a São Paulo assim como nós mas pegou a Fernão Dias no sentido errado e está indo pra Belo Horizonte!!!

  78. os babacas contuam pagando p/ os filhinhos de papai estudarem la de GRACINHA

  79. A sua solução é uma das melhores, dado o tabu que virou para muitos falar de privatização. Porém, essa sua solução somente pode ser de curto prazo, pois dinheiro para financiamento estudantil e bolsas de estudo também provém de recursos públicos.

  80. Zé,
    A sua conta de R$4500/mes para alunos USP não considera algumas coisas:

    1) Isso é para uma USP alegadamente falida.
    2) É preciso corrigir pela inflação de 2015 – logo são R$ 5000/mes
    3) Muito provavelmente esse conceito de “alunos” segue a definição MEC de “aluno com matrícula ativa” – ou seja qualquer aluno que em determinado ano tenha se inscrito em pelo menos uma disciplina, inclua aí alunos completando tese de DSC apenas formalmente inscritos ou alunos de pós em fase de pesquisa (e subvencionados via CNPq)

    Ou seja para um aluno completando digamos um curso de engenharia em cinco anos (o esperado) o custo deve ser pelo menos R$6000/mes ou mais.
    Uma sugestão para já: esse número deveria ser amplamente divulgado.