A ONIPRESENÇA DE UM DEPUTADO ESFOMEADO

Share Button

Na Câmara Federal encontramos de tudo mesmo. Tem deputado falastrão e tem aquele que nunca abre a boca. Tem deputado metido a "sabe-tudo" e outros que demonstram não saberem de nada. Mas tem alguns que conseguem a proeza de estarem em mais de um lugar ao mesmo tempo e, ainda, com apetite de Leão.

Antes de qualquer coisa, é importante informar que os deputados têm à disposição um bom dinheiro público disponibilizado mensalmente pela CEAP¹. Ele pode utilizar desta verba para pagar despesas com alimentação. Porém, segundo normas da casa, somente o deputado pode usufruir deste recurso financeiro para este fim. Assessores, secretários, amigos, família e amantes não podem ter suas despesas com alimentação pagas com este dinheiro.

Esclarecido este ponto, hoje citarei o caso de um deputado que não foi reeleito, mas seu legado alimentício ficou para a posteridade.

Francisco de Assis, ex-deputado do PT de Santa Catarina, assumiu uma cadeira na Câmara Federal, depois que Pedro Uczai se licenciou, alegando motivos pessoais. Foram apenas 110 dias como titular, porém, mais que necessário para mostrar que existem pessoas na política que deveriam ter vergonha até de andarem pelas ruas.

Foram R$ 103 mil de gastos, neste período, com o dinheiro público da CEAP. Deste valor, quase R$ 20 mil foram gastos apenas com alimentação. Uma média digna do Guinness Book – R$ 181,00 por dia!

Mas, como ele teria conseguido esta façanha?

Os exemplos são intermináveis, mas mostrarei apenas alguns que exemplificam claramente o que estou dizendo.

  • No dia 7/11, às 5:18h, ele tomou o café da manhã no Aeroporto de Brasília. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Neste mesmo dia ele almoçou em Joinville (SC), às 12:52h. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Às 14:23h ele já estava de volta à Brasília e almoçou no Restaurante Mangai. Visualizar Cupom Fiscal.
    (OBS: O menor tempo de voo que encontrei entre as duas cidades foi de 3:43h)
  • Porém, neste mesmo dia, ele retornou à Joinville com muita fome, tanto que comeu mais de DOIS QUILOS de comida no Restaurante Glória.  Visualizar Cupom Fiscal.
Após três semanas de intensas viagens, almoços, lanches e jantares...
  • No dia 28 do mesmo mês, ele tomou novamente café da manhã no Aeroporto de Brasília às 7:49h. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Quatro horas mais tarde, ele comeu um hambúrguer em Campinas-SP. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Apenas uma hora depois, às 12:40, o Onipresente deputado Francisco de Assim, já estava em Brasília comendo Carne de Sol acompanhada de queijo coalho e mandioca (aipim/macaxeira). Visualizar Cupom Fiscal.
  • Não satisfeito e ainda no mesmo restaurante, o comilão deputado suplente ainda comeu mais outro prato com carne de sol, filé de peixe e também bebeu dois refrigerantes e dois sucos. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Mas a fome do representante do povo parecia infindável. Ele ainda comeu mais outra porção igual as demais e ainda, uma água mineral e mais um suco. Visualizar Cupom Fiscal.
  • Mas, não pense que a fome havia terminado. Como um raio, o deputado esfomeado já estava no restaurante do Congresso Nacional traçando mais uma refeição, apenas meia hora depois de se entupir de carne. Visualizar Cupom Fiscal.

Além disso, ele ainda conseguiu, num mesmo dia, também em novembro, comer em Brasília, Corumbá-MS e Campo Grande-MS. No dia seguinte, comeu novamente em Brasília e depois em Canoinhas-SC. Foram mais de 8 mil quilômetros e alguns quilos de comida em apenas 48 horas!

Como é razoável deduzir que nenhum ser-humano consiga comer tanta comida, em tão pouco tempo, e muito menos estar em dois ou três lugares ao mesmo tempo, só há uma explicação para esta falta de vergonha na cara. O deputado recolheu cupons fiscais alheios e os apresentou à Câmara como sendo dele, recebendo assim um bom dinheiro. Aliás, dinheiro público.

Não sei se há outra palavra para isso, mas eu aprendi no colégio que o nome disso é ROUBO!

Este caso e muitos outros, que a OPS está levantando, serão enviados ao Conselho de Ética da Câmara Federal e também ao TCU – Tribunal de Contas da União, tão logo todas as auditorias sejam finalizadas.

Aliás, se você quiser fazer parte da equipe que está fazendo auditoria nos gastos com alimentação dos parlamentares, assista ao vídeo abaixo e saiba como participar.

Escrito por Lúcio Big

patreon-lucio-big

 (¹)CEAP - Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar. Destina-se a custear gastos exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar, observados os limites mensais estabelecidos. Com esta cota, o deputado federal pode pedir o ressarcimento das seguintes despesas:  passagens aéreas; telefonia; serviços postais, vedada a aquisição de selos; locação de imóveis para fins de representação política em seu estado de origem; condomínio do imóvel locado, assim como: IPTU,  serviços de energia elétrica, água e esgoto; locação de móveis e equipamentos; material de expediente e suprimentos de informática; acesso à Internet; assinatura de TV a cabo ou similar; locação ou aquisição de licença de uso de software; assinatura de publicações; fornecimento de alimentação do parlamentar; hospedagem, exceto do parlamentar no Distrito Federal; outras despesas com locomoção, contemplando: locação ou fretamento de aeronaves; locação ou fretamento de veículos automotores, até o limite inacumulável de R$ 10.900,00 (dez mil e novecentos reais) mensais; locação ou fretamento de embarcações; serviços de táxi, pedágio e estacionamento, até o limite global inacumulável de R$ 2.700,00 (dois mil e setecentos reais) mensais; passagens terrestres, marítimas ou fluviais; combustíveis e lubrificantes, até o limite inacumulável de R$ 4.900,00 (quatro mil e novecentos reais) mensais; serviços de segurança prestados por empresa especializada, até o limite inacumulável de R$ 8.700,00 (oito mil e setecentos reais) mensais; contratação, para fins de apoio ao exercício do mandato parlamentar, de consultorias e trabalhos técnicos, permitidas pesquisas socioeconômicas; divulgação da sua atividade parlamentar, exceto nos 120 (cento e vinte) dias anteriores à data das eleições de âmbito federal, estadual ou municipal, salvo se o Deputado não for candidato à eleição. Os valores variam de acordo com o estado de origem do deputado. De R$ 30.146,80(DF) à R$ 45.240,67(RR).

Sobre Lúcio Big

Lúcio Big, jornalista (MTE nº 0010764/DF), ativista no combate à corrupção e músico nas horas vagas.

7 comentários

  1. Ninguem fiscaliza isso? Só apresentar qualquer recibo que é feito o reembolso?! Somente em orgão publico mesmo, bando de safado. Em qualquer empresa privada o processo de reembolso é cheio de detalhes e explicações, mas no governo isso não acontece. Apresenta qualquer coisa e o reembolso é feito, além de LADRÃO é BURRO!

    E esse deputado tem que ser preso, isso é roubo do dinheiro publico.

    Parece que todos esses deputados tem a meta de gastar 100% da CEAP antes do fim do mês. Imagina ele pensando: “Falta dois dias para acabar o mês e ainda tenho 30k para gastar da CEAP, o que vou inventar?! Já sei vou pegar recibos no chão/lixo e pedir reembolso. Eu sou um gênio”.

    • Exatamente, aqui na empresa onde eu trabalho tem um limite de 25 reais por refeição (Almoço e Janta) e mais 10 por café da manha. E so é reembolsado se for nota fiscal nem adianta levar essas de padaria ou de recibo simples que o adm rasga na sua frente.

      Será que em Brasília tem alguem que faz o controle disso ou tambem esta envolvido na roubalheira???

      • O limite deles é 100k por mês!

        Pelo histórico que o Lucio passou, quando ele vai pedir os recibos para analise, eles não tem equipe para fazer isso, mas para os deputados 100k por mês tem, e cobram taxa sobre o valor da copia, mas sendo que ele pode escanear/tirar foto e disponibilizar o recibo digitalmente, mas não eles preferem cobrar e enviar por correrio que demora se não engano três semanas para chegar e quando chega.

        Lucio comentou que no RJ eles cobram 10 reais por copia. E f***-se quiser tem que pagar! Em vez disponibilizar digitalmente enfiam a faca no seu olho e f***-se. Governo é para povo e não contra ele, ficam colocando dificuldade em tudo.

        E os senadores que não tem transparência nenhuma, não estão obedecendo a LEI e nada acontece.
        Faz que nem a presidente Dilma, quando não cumpre a lei e iria ser presa, vai lá e altera a lei e f***-se.

      • Eles colocam dificuldade no nosso acesso e em tudo que nós precisamos. Porque como comprovado diversas vezes pelo Lucio, o deputado apresenta qualquer papel de pão e o reembolso é feito sem problema nenhum.

        Verba para hospitais/educação/segurança é bem limitado e vi esses dias rios de dinheiro para gravação de DVD, show não sei de quem, aumento de salario deles mesmos, etc. Tudo para eles é mais fácil.

        Lucio PARABÉNS PELO TRABALHO!

  2. Só uma correção que Corumbá e Campo Grande é MS e não MT, rs.

  3. ei otário, venha participar do grupo benecista, pois se vc tiver umas ideias para fazer um novo sistema político Brasileiro, divulgue, pois isso pode ajuda, venha pro benecismo: https://www.facebook.com/groups/676165729162099/

Assinantes do site tem descontos especiais na loja! Bronze (5%), Prata (10%), Ouro (20%) e VIP (30%)! Saiba mais, clique aqui - Dispensar