A Corrupção de Jaleco Branco

Share Button

A Folha de São Paulo publicou uma matéria esta semana que fala sobre alguns maus profissionais da saúde que temos.

Segundo o jornal, vários médicos chegam ao local de trabalho (hospitais públicos), batem o ponto e vão embora para suas clínicas particulares ou hospitais privados.

Tem médico que, mesmo estando na Europa, conseguiu bater seu ponto, além de outros que conseguem trabalhar mais que vinte e quatro horas por dia em horas extras (hein?!).

No Distrito Federal, o Tribunal de Contas do DF identificou, apenas em junho do ano passado, mais de 25 mil faltas indevidas de servidores da saúde, o que dá uma média de 15 faltas por servidor.

Enfim, o que se vê nesta reportagem é uma realidade que poucos admitem existir. O brasileiro, genericamente falando, se sente indignado e usurpado pela corrupção institucionalizada que envolve políticos e grandes empresários, mas ao mesmo tempo não se importa ou acha normal praticar atos ilícitos.

Infelizmente. existe esta (des)cultura em nossa sociedade. A cultura do apontar o dedo para as falhas dos outros, mas não enxergar as próprias falhas.

É preciso repensar as atitudes que tomamos diariamente para não corrermos o risco de nos tornarmos como esses patifes de jaleco branco, que estão devidamente representados pela banda podre da política brasileira.

Assista ao vídeo abaixo para ver mais algumas Notícias Absurdas.

Escrito por Lúcio Big

patreon-lucio-big

AVISO AOS 'J'ÊNIOS DE PLANTÃO
As opiniões expressas pelos autores e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Canal do Otário.

Sobre Lúcio Big

Lúcio Big, jornalista (MTE nº 0010764/DF), ativista no combate à corrupção e músico nas horas vagas.

2 comentários

  1. “Enfim, o que se vê nesta reportagem é uma realidade que poucos admitem existir. O brasileiro, genericamente falando, se sente indignado e usurpado pela corrupção institucionalizada que envolve políticos e grandes empresários, mas ao mesmo tempo não se importa ou acha normal praticar atos ilícitos.” Nossa. É exatamente isso que penso. Se você parar pra observar, vai ver que isso acontece com muita gente em praticamente todos os lugares; no trânsito, nas escolas, no trabalho. Resumindo: Hipocrisia e falso moralismo.

  2. Generaliza não por favor, só Deus sabe pelo que eu passo todos os dias para atender bem nesse sistema falido, é nadar contra a correnteza.
    Esse tipo de matéria me põe pra baixo.

Assinantes do site tem descontos especiais na loja! Bronze (5%), Prata (10%), Ouro (20%) e VIP (30%)! Saiba mais, clique aqui - Dispensar