Competitividade, Educação e Liberdade Econômica (ladeira abaixo)

Share Button

Semana passada fomos agraciados com mais uma noticia ruim para nós, trabalhadores, que dependemos dos nossos empregos para sobreviver. Como já estávamos sentindo na pele, foi noticiado o óbvio, a competitividade do Brasil frente ao mundo caiu ainda mais.

ranking-da-competitividade
Fonte: IMD/FDC/Folhapress

Competitividade

De um ranking de 61 países ocupamos a vergonhosa 56º posição, a frente apenas da Mongólia, Croácia, Argentina, Ucrânia e Venezuela!

O professor Carlos Arruda, professor da Fundação Dom Cabral, resumiu bem esta situação:

"Não há nada na agenda brasileira que permita avançar meia dúzia de posições em pouco tempo. As ações que levariam a isso, como controle das finanças públicas e ganhos de produtividade, não têm resultado de curtíssimo prazo. E mesmo que o ajuste do ministro Joaquim Levy dê certo, o resultado também não é imediato"

Estamos em queda livre faz tempo, enquanto o mundo ganha produtividade, nós perdemos. Nossos produtos ficam mais caros, pioram de qualidade e vamos cada vez perdendo mais espaço no mundo.

Liberdade Econômica

Outro ranking que anda junto com o da competitividade, é o ranking de liberdade econômica, que segue a mesma linha da produtividade.

Até o começo dos anos 2000 estávamos em uma ascendente, de lá para cá, é ladeira abaixo. Deem uma analisada vocês mesmo no Ranking, utilizem a ferramenta de comparação entre países e vejam como estamos em relação aos nossos vizinhos, como Chile e Colômbia.

- É vergonhoso!

liberdade-economica-ranking

Eu me pergunto: porque isso acontece?!

Elenco vários fatores, entre eles:

1) Direitos trabalhistas – Sim esses direitos encarecem nossa mão de obra e reduzem a produtividade. Reduzem a produtividade porque o camarada muitas vezes fica encostado atrás de leis e proteções, força a barra para ser mandado embora para receber seguro desemprego, nesse ínterim a produtividade cai, a empresa perde e o país perde, o camarada tem de ser reposto e mais custos de contratação são envolvidos, esses custos vão parar nos preços dos produtos, gerando esse ciclo vicioso que vemos.
2) Infraestrutura – Todo mundo que anda de carro sabe o que é isso. Sofremos uma falta generalizada de infraestrutura produtiva, falta de tudo, desde meios de transporte modernos, até logística. Nossas estradas são o maior exemplo desse descaso. Por exemplo os 3 maiores polos industriais do Brasil: SP, MG e RJ são interligados por estradas horríveis. A Fernão Dias, por exemplo, é uma estrada projetada nos anos 50 e inaugurada em 59! ainda que seja pista dupla, possui serras e curvas demais, onde é comum ver caminhões tombados e acidentes. O mesmo com a Dutra, entre Rio e Sampa, e é por essas vias que se escoa a produção do Sudeste brasileiro.
3) Impostos, Governo, regulações – Precisa mesmo de explicação aqui? Acho que só de sabermos que a carga tributária brasileira é de cerca de 40% já explica quase tudo. Disse quase tudo porque, além de ser um estupro do nosso bolso, é ainda composto de dezenas de impostos que encarecem todo o processo para as empresas pagarem. É tão confuso que é comum empresas não saberem se estão pagando certo ou não seus impostos. Os departamentos fiscais das empresas costumam ser gigantes para dar conta desse absurdo. Claro, isto gera mais custos, que refletem nos preços!
O Governo, a cada ano que passa, dificulta um pouco mais, pois não garante estabilidade nas leis. Vira e mexe eles resolvem baixar ou subir impostos, o que, além de deixar os empresários malucos, gera instabilidade. Consequentemente, ninguém consegue se planejar a longo prazo, pois não há garantias de que daqui a 1 ano os impostos e regulações serão os mesmos.
4) Educação – Para mim, o mais importante e o mais sutil dos problemas relacionados com a produtividade. Nosso índice de educação, ainda que tenham melhorado no numero absoluto, tem perdido posições no ranking geral, o que quer dizer que melhoramos, mas melhoramos menos que o resto do mundo, o que, na prática, indica uma piora, já que não estamos sozinhos no mundo.

Vou dedicar mais adiante um post só sobre esse tema, mas, na minha opinião, o problema é o grande incentivo a mediocridade que temos hoje no Brasil. Nas escolas, mesmo nas melhores (particulares) há uma grande parcela de professores que impõe um ritmo de aprendizado para toda a classe baseado-se no alunos mais medíocres, aqueles com problemas de aprendizado, o que parece o correto a ser feito, mas acaba desestimulando os excelentes alunos ao estudo, ao ensinar para essas crianças que o mundo irá se adequar a elas e não o contrário. Ensinam que, se o camarada tem dificuldade, alguém vai ajudá-lo e que ele não precisa se esforçar mais, basta dizer que ele tem dificuldades e tudo está resolvido (progressão continuada, já devem ter ouvido falar disso!).

Na vida adulta, essas pessoas esperarão que alguém (o governo) sempre venha a lhe ajudar e com isso vemos o que vemos no Brasil.

É isso ai!

Escrito por Zé Mané

banner-assine

Fontes e links úteis

Fontes e links úteis

Ranking de educação: Brasil ocupa a posição de número 38 entre 40 países analisados
http://thelearningcurve.pearson.com/index/index-ranking

Brasil perde 14 posições em ranking de liberdade econômica
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/01/1398273-brasil-perde-14-posicoes-em-ranking-de-liberdade-economica.shtml

Ranking de Liberdade Econômica Mundial
http://www.heritage.org/index/

Brasil atinge sua pior posição em ranking de competitividade
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/05/1634354-brasil-atinge-sua-pior-posicao-em-ranking-de-competitividade.shtml

País gasta muito com seguro-desemprego
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pais-gasta-muito-com-seguro-desemprego-imp-,817889

AVISO AOS 'J'ÊNIOS DE PLANTÃO
As opiniões expressas pelos autores e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Canal do Otário.

Sobre Zé Mané

Olá, sou um cara normal, que tem um emprego normal, uma família normal, acorda cedo para ralar todo dia, paga um montão de contas e impostos e está, assim como muitos, pra lá de insatisfeito com os rumos do nosso (des)governo. Espero aqui poder compartilhar com vocês minhas idéias e pensamentos sobre economia, politica e interesses gerais desse país que ainda não é uma nação

3 comentários

  1. Enquanto o povão se preocupar mais com o time de futebol ganhar ou jogar “bonito”, “alegre” e outros adjetivos idiotas, o país vai ser isso mesmo, a hora que tivermos mais interesse na política, economia e cobrar mais dos governantes, quem sabe muda alguma coisa.

    • É exatamente o que eu penso.O povo só quer saber de futebol,cerveja e putaria. Políticos tem que ser cobrados e viver sob fiscalização,o cidadão nem se lembra em quem ele votou,é uma profunda crise de prioridades.

  2. A progressão continuada é um grande entrave para a educação, realmente. O aluno tem a certeza de que vai passar, então nem se preocupa em se esforçar, mesmo que minimamente, ou seja, a impunidade vai sendo ensinada desde cedo e o desrespeito aos professores, incentivado.